Momento: A Tinta Invisível do Prazer

“São coisas em comum que fazem relacionamentos agradáveis, mas são as pequenas diferenças que os tornam interessantes. ” – Todd Ruthman


O relacionamento – namoro, noivado ou casamento – não precisa ser complicado e sem o sabor do desejo, da presença que colore os momentos. Bem sabemos disso, não é?

Muitos dizem: Como manter um relacionamento assim… Outros bradam: Vocês são loucos…

We (Dragon and Phoenix) respondemos: É, somos loucos…muito loucos…

E somos ainda mais loucos e geniais quando nos permitimos amar sem os limites do convencional e do tradicional, utilizando a linha intangível da emoção que conduz a carruagem do prazer nos caminhos da ruptura da distância física.

Em tempos modernos, a tecnologia – Viber, WhatsApp, Skype – promove a ruptura da distância facilitando o contato e assim nos permitindo colorir as páginas do relacionamento à distância com a fio imaginário do pensamento, nos possibilitando sentir o toque, o cheiro e um prazer indescritível.

Este colorido só quem ama consegue enxergar. Só quem ama irá compreender. Só quem ama conseguirá sentir. Absolutamente é muita loucura em tanto prazer! Ou será muito prazer em tanta loucura? O que interessa… É simplesmente uma delícia de loucura prazerosa na prazerosa loucura.

As páginas do livro do relacionamento podem ser escritas, coloridas, rasgadas, amassadas, picotadas… A escolha do que fazer, do como fazer, e porque fazer e se fazer, pertencem a cada um. We (Dragon and Phoenix) escolhemos escrever e colorir as páginas do nosso livro com a tinta invisível do prazer utilizando a caneta do amor.

Como?

Através da beleza dos sonhos e da imaginação do Dragon conduzindo a Phoenix por caminhos que levam ao parque – entre árvores e lagos, que levam a praia – entre coqueiros, pedras e ondas, ao restaurante japonês – com uma divina barca de sushi, sashimi de salmão e salada sunomono, ao bar – com uma bela sinuca e muito chopp, ao carro – pequeno mas poderoso, o sofá – super macio e confortável, a parede – branca e escorregadia, a cozinha – com seu chão geladinho e repleta de frutas e com a sua bancada de mármore negro – tudo do tamanho exato, e assim, os caminhos vão surgindo diante da emoção cotidiana do amar.

Não importa – onde, quando, como – todos os caminhos conduzem ao local onde o prazer encontra seu apogeu na exuberância da paisagem, observada pela janela de vidros transparentes, por onde os raios solares invadem ao amanhecer, os feixes do luar banham a encantadora cama com sua colcha avermelhada. De onde se vislumbra o céu alaranjado, ao entardecer, e as intensas luzes da grande metrópole, refletindo no onipotente rio azul, compondo o finalizar desse caminho, rabiscado com as tintas invisíveis do amor, pleno e intenso. Nos fazendo delirar de prazer ao sonharmos com o dia em que lá será o hoje, o amanhã e o sempre ninho aconchegante do Dragon e da Phoenix. 🐉💙🔥


Cláudio Cordeiro

E você nos chamaria de Loucos…? Ou consegue enxergar a Tinta Invisível do Prazer?