Momento: Um Sonho… Um Poema!

“O amor é permanência de delicadeza. Amar é elegante.” – Ita Portugal

O amanhecer adentrava a bucólica cidade dos sonhos, despertando Dragon. Seu olhar sonolento admira a beleza exposta da Phoenix, envolta em sonhos poéticos. Do ninho a sala, da sala a cozinha. Toalha estendida, a mesa é um convite ao café matinal. Frutas, torradas, mel, geleia, queijo, suco… e flores da manhã a embelezar o momento.

O aroma do café se diluía ao ambiente já perfumado pela brisa doce e suave do amanhecer refrescando os desejos incontidos do glamoroso Dragon. Os primeiros raios de sol alcançavam a Caverna pela simples e maravilhosa varanda, suscitando o raiar dos pensamentos do Dragon que caminhou até o balanço, esparramou-se perdido nos próprios devaneios. Sentia-se, momentaneamente, perdido, relembrando as intrigantes palavras balbuciadas suavemente pela exuberante Phoenix já adormecida em seus ardentes sonhos.

– “Culpa! De quem é a culpa? A culpa é sua!”

Envolto na harmoniosa ansiedade dos pensamentos, Dragon, na vã tentativa de decifrar o significado de “A culpa é sua!”, busca o infinito azul do horizonte. E, no lapso de um olhar desatento, sua emoção é invadida por inefável melodia, cantarolada por belo e magistral pássaro matutino, a encantar sua alma, estremecendo seu corpo. 

Repentinamente, na intensidade dos desejos, o brilho desafiador do sol, envolve-o, inspirando suas reflexões. Dragon, levanta exuberante, abre suas asas, inteiramente emocionado, direciona intenso olhar sobre a majestosa Cidade dos Sonhos, e brada, aos quatro ventos:


A culpa é sua! Admirável Phoenix!

Por ser inegável seu corpo!
Estrada de curvas encantadas,
Perfeitas, sedutoras, alucinadas,
Onde meu desejo transita.

Por ser inebriante seus olhos!
Esferas de brilho sensual,
Profundos na magia universal,
Onde minha alma reflete.

Por ser encantadora sua boca!
Fonte de lazer,
Calientes de prazer,
Onde meu pensamento se expressa.

Por ser exuberante seus lábios!
Moradia de desejos,
Uma poesia de ensejos,
Onde meu beijo silencia.

Por ser intenso seu abraço!
Fonte de inspiração
Um roteiro de intenção
Onde meu corpo permanece.

Por ser suave sua voz,
Sons de sedução,
Melodia de uma canção,
Onde meu poema vibra.

Por ser irradiante seu Sorriso!
Expressão de felicidade,
Alma em expressividade,
Onde meu amor fantasia.

A culpa é sua! Admirável Phoenix!

Pelo envolvimento exótico,
Em brasa a arder,
No deleite de movimentos eróticos,
Dos corpos a sublimar,
O Infinito desejo do prazer.
Pelo amor, na insensata satisfação,
De almas em perfeita conjunção,
Na arte de amar.


Dragon silencia. Adentra a caverna, e no piscar de um olhar, admira encantado o sorriso intenso, meigo e sedutor da Phoenix a lhe dizer: Meu desejo! Ser inteiramente sua realidade! Por desnudar minhas emoções caminhando no jardim do sentimento, construindo pontes de amor sobre o vale do medo e seduzir minha alma, na indelével sensação, infinita e mágica, de amar e ser amado na insensatez do momento chamado eternidade.

🐉 Sinto imensa saudade na eternidade do sonho do amor da minha vida 🔥

Cláudio Cordeiro 🐉

Poema: Um poema! Uma escrita!

O amor é a chave que nos permite abrir os cadeados do casulo que aprisiona nossas asas, rompendo com o egoísmo e libertando as mais fantásticas emoções. Eu amo intensamente…” – Dragon 🐉


Apesar da infinita distância,
O amor, sorridentemente,
Renasce a cada amanhecer com o Dragon,
Como poesia desenhada pela "lapiseira do coração".

O amor é bem mais que olhares!
É sentir o toque inatingível,
É renascer em cada suspiro de prazer,
Sentindo intensamente a alma do amor.

O amor é bem mais que o tempo!
É uma camisa trocada,
É um corredor para amar,
No mar de esperanças, na arte de esperar.

Esperar pelo tempo. Qual tempo Dragon?
Nosso tempo, tempo nosso,

"Bem mais que o tempo... Que nós perdemos... Ficou pra trás... Também o que nos juntou..."

Tempo incerto, tempo deserto, tempo necessário,
Não! Tempo da verdade, tempo da maturidade.

O amor é bem mais que amar!
Está além de apenas sentir,
É simplicidade no permanecer,
É reciprocidade na intimidade,
É gratidão, confiança, ir além,
É resistir, na sabedoria da distância.

O amor é bem mais que palavras!
É uma linha rascunhada com sonhos,
É uma página desenhada com a "Tinta Invisível" do prazer,
É um caderno escrito na sabedoria dos momentos repleto de intenções,
Intenções de encantar, vivenciar, perceber e amar,
Continuamente no Resplandecer Infinito (de seu) Sorriso.

E a alma da Phoenix pulsa no coração do Dragon!

Cláudio Cordeiro 🐉

Poema: Desejo sob a Chuva

Que saibamos ser “o jardineiro” do admirável jardim chamado coração, “o adubo” da sensível terra chamada emoção, “o orvalho” suave a umedecer o maravilhoso jardim chamado relacionamento e “a seiva” pujante que percorre as veias da inusitada paisagem do amor. – Dragon 🐉

jenna_michel_campanha_glee_ensaio2 (2)

O beijo é o único gesto que não admite teoria…   (Samuel Ross)

Beijo-te assim...
Sem teoria num ardente desejo,
Caminho a ti sorridente,
Na intensidade da chuva,
Caminho em ti suavemente,
Dos lábios aos pés sem curva,
Conduzo seu corpo ao prazer,
Sua alma ao delírio,
Sorvendo, dos deuses, o néctar,
Ao beijar você.

Amo-te assim...
Apaixonado, 
Inteiramente louco,
Pela forma encoberta,
Senti seus lábios tremer,
Inteira vibração,
Sentir essa paixão,
Intenso desejo,
Ao amar você.

Sinto-te assim...
Camiseta branca colada, 
Molhada, suada,
Definindo seu corpo,
Exibindo a harmonia, 
As curvas delineadas,
Perfeitamente encaixada,
No vestido entreaberto,
Sentido a brisa molhada,
No mágico momento,
Ao Sentir Você.

Somos assim...
Almas calientes, 
Corpos ardentes,
A chuva nos beija envolvente,
E no piscar do olhar,
Nos deixamos levar,
Para um mundo, onde só nós,
Aprendizes na arte do amar,
Sabemos vivenciar,
Mãos falando suas próprias línguas,
Línguas expressando suas íntimas intenções,
Intenções com sentimentos que escutam,
Sons de versos em beijos molhados,
Corpos calientes, 
Almas ardentes.

Cláudio Cordeiro 🐉

Você é o Beijo de toda transformação!

Momento: Onde Estará meu Dragon?

Phoenix …

Eu vou ser sua Phoenix e você será o meu Dragon!

Eu darei a você o meu coração e você me dará o seu. Vamos aprender um com o outro, crescer juntos, inspirar e respeitar um ao outro. Nós nos amaremos e as nossas diferenças completarão a nossa inteireza.

Cada um de nós terá um portal, onde definiremos nossos limites e nossas individualidades, mas quando nos encontrarmos, será como se cada um estivesse segurando a chave do portal do outro já por muito tempo… E apesar de termos a chave do portal do outro, pediremos permissão para entrar, e nos curvaremos com respeito e cuidado, usando a bondade e o afeto quando formos convidados a adentrar a alma.

E assim, a minha chave abrirá o seu coração, e sua chave abrirá o meu por toda a eternidade. Porque a Phoenix não morre e o Dragon vive para sempre! Seremos uma família feliz e eu estarei por toda a vida com o meu Dragon.

Foi com ele que eu escolhi passar o resto da minha vida.

A vida é muito curta para se morrer em vida. Todos nascemos para ser felizes! Às vezes me pergunto…

Onde estará o meu Dragon?

Dragon …

Passeando com a Phoenix

Pelos caminhos da vida

Sendo poeta dos versos,

Mais belos e encantadores,

Escritos na página do coração.


Declamando uma poesia

De amor e sedução,

Sentindo o sabor inebriante

Do amar em teus braços;


Recebendo calor

Do teu abraço intenso,

Solvendo mel do prazer

Em teus lábios;


Sentindo suas vértebras,

Ao deslizar dos meus dedos

Sob tua pele,

Ouvindo os gemidos

De tua alma;


Deliciando com o tocar

De meus lábios

Sobre teu corpo

Sedento de prazer,

Percebendo o mordiscar dos lábios;


Escutando o som da água

Se derramando

Sobre teus seios,

Pingando com paixão

Ao sabor do teu desejo;


Explodindo em êxtase,

Ao esparramar sobre a cama,

Nus e selvagens.

Dançando ao sabor gostoso

Da música soprada

Pela brisa que adentra

A janela do coração.


Passeando com a Phoenix

Pelos caminhos da vida  

Sendo artista do amor

Na arte de encantar

E … amar.


Cláudio Cordeiro 🐉 & Cris Repolês 🔥

Amar Você é a melhor parte desse Poema!

Momento: A distância do Momento!

“O amor é o espaço e o tempo medidos pelo coração.” – Marcel Proust

A arte de amar nem sempre é simples… às vezes falta colorido, sobra distância, os traços são fortes ou fracos demais, o pincel se desgasta e em outros momentos a tela parece grande e infinita dando a sensação de que nunca se tornará um belo e encantador quadro. 


Não há como medir 
A distância do momento.
Tão longe ficamos… e,
Não chegamos! 
Nem fomos!
Há um lugar comum
Um vazio… restou
Uma saudade ficou.

Quero ouvir 
Tuas histórias 
Ainda não contadas
Então! Demoras
Um pouco mais…

Ocupa meu olhar 
Com a tua imagem 
Meu desejo
Com tua sensualidade
Minha boca
Com teu beijo.

Acabam-se as tintas, 
Desbotam as cores
Da poesia a ser escrita
No livro da vida.

Não adie o que
O tempo roubou
O medo enterrou. 

Seja meu verso perfeito 
No risco do meu poema
Seja flor temporã
No outono que perdura. 
Seja manhã clara 
Entardecer na varanda
Seja o amor guardado 
Pela eternidade de uma vida
Pelo tempo infinito de um beijo…

Então fica! Então fico! 
Simples assim!


No entanto quando a tinta usada é a tinta “invisível do amor”… todas as distâncias, incertezas e tristezas, se diluem no espaço de uma pincelada, e surpreendentemente, surge acabada e radiante a obra mais bela pintada pelo amor e pela esperança.


Cláudio Cordeiro 🐉

Seja a Presença no Momento da Distância!

Reflexão: Aprendendo a Amar

“Passamos a amar não quando encontramos a pessoa perfeita, mas quando aprendemos a ver de maneira perfeita uma pessoa imperfeita.” – Sam Keen

Dragon refletia sobre a necessidade de nos amarmos… e assim amarmos quem queremos amar.

Quando iniciamos um relacionamento, seja qual for, junto com o amor também entregamos uma pequena lista de sentimentos: medos, frustrações, insegurança, arrogância, carências, angústias, mágoas e muitas dores emocionais. E assim fazemos, porque não providenciamos antes a construção do amor em nós. Esquecemos que primeiramente temos de amar a nós mesmos.

A maneira como nos tratamos é também a forma como vamos tratar as pessoas que amamos. Se a relação com nós mesmo não está bem, como poderemos construir uma relação saudável com outra pessoa? Inevitavelmente esse desajuste no campo pessoal afetará de forma variada e prejudicial a relação com os outros. E o mais interessante é que nem sempre temos consciência dessa falta de auto amor, e por isso passamos a responsabilizar a pessoa que amamos (amigo, namorada, esposa, filho…) pelas situações e fatos ruins que sentimos. Conforme nos diz André Luiz:

“A forma como nos tratamos cria um campo vibracional, energético entre nós e o objeto amado.”

Se nós não nos preocupamos em realizar os nossos desejos, em fazer aquilo que entendemos ser o melhor para nós, não sendo fiel com o nosso querer e com nossas necessidades, com certeza essa atitude poderá trazer desengano e decepção para os nossos relacionamentos afetivos. Precisamos prestar mais atenção às nossas necessidades, tratando com mais leveza e docilidade os nossos desejos mais íntimos. É preciso respeitar os nossos sentimentos para sermos respeitados pelas pessoas e pela vida.

Se vivemos o trágico medo da rejeição, a relação é visitada constantemente pela incontrolável necessidade de agradarmos o outro, no intuito de não perdermos o carinho, o amor.

Se guardamos frustrações e magoas, no decorrer da vida, surge ferrenha e poderosa a cobrança e a rigidez para com a pessoa amada, na tentativa de que ela não trilhe os mesmos caminhos que nos foi motivo de desajustes e dores.

Se não compreendemos a solidão e a carência que trazemos no interior de nossa alma, não compreenderemos a ausência do outro. Assim, a tendência é exigirmos que o outro nos conforte o ego em demasia (mimos) e expresse o reconhecimento constantemente.

Se nós nos encontramos doentes com conosco mesmo, o que acontecerá com nossas relações de amor? O mesmo!  Ela refletirá a nossa doença, dor, magoa e imperfeições.

Se dizemos que amamos alguém, sem antes ter a consciência de que nos amamos, o amor que vamos ofertar acabará sufocado, enjaulado em nossas limitações e desencantos emocionais.

Se nós não conseguimos ter atitudes que diluam nossos problemas, dificuldades, estaremos correndo o risco de colocar a nossa felicidade no bolso do outro. Ninguém é responsável por nos fazer feliz. A nossa felicidade está em nós. Só nós temos esse poder.

Jamais deixe de amar… Continue amando… O amor é a construção do infinito desencadear das relações duradouras. Ame! Mas ame da maneira que você dá conta. Ame! Mas ame com intensidade e verdade. Ame! Mas ame com a delicadeza e perfume da mais simples flor.

Ame! Mas antes de tudo… Conheça-te!


“Simples assim! Ame a si mesmo e aprenda, aprendendo a amar. Fazendo assim, construímos dias plenos de felicidade para nossa vida e na vida de quem amamos.” – Dragon

Cláudio Cordeiro 🐉

Filme: Como eu era antes de você

“Dizem que só é possível se admirar um jardim depois de certa idade, e acho que existe alguma verdade nisso. Provavelmente tem algo a ver com o grande ciclo da vida. Parece que há algo de miraculoso em ver o inexorável otimismo de um novo broto após a desolação do inverno, uma espécie de alegria na diversidade a cada ano, a forma como a natureza escolhe mostrar diferentes partes do jardim.”

Ontem estava assistindo, de novo, o filme – Como eu era antes de você – a emoção e sensibilidade do filme, da música – Photograph – fizeram meus pensamentos vagarem no universo do relacionamento, do amor.

Escolher a pessoa com quem decidimos dividir a vida, é uma das escolhas mais importantes (e difícil) a ser tomada, e qualquer um pode fazer sempre… e muitas vezes nos embrenhamos numa busca sem fim pela escolha da pessoa certa. É! Mas esquecemos que a “pessoa certa” simplesmente chega inesperadamente e rouba nosso tempo, nossos pensamentos e adentra nosso mundo criando o caos mais organizado a nos conduzir na trilha do amor.

Quando ignoramos isso, e erramos na escolha, a vida se colori de cinza, permanecendo sem brilho e às vezes nem percebemos…  Até acordar uma manhã e descobrir que anos se passaram… (Sei bem o que é isso…)

E a Phoenix chegou! Assim! Simplesmente assim… inesperadamente, naturalmente bagunçando os sentimentos, as convicções e desbravando caminhos infinitos de possibilidades e aprendizado. Ufa! Foi fantástico viajar ao seu lado. Sua amizade, carinho, amor trouxeram um colorido novo as estações da vida. Sua presença repleta de otimismo e certezas iluminaram o caminho em vários momentos – de alegria, tristeza, dor, felicidade, prazer e loucuras – gratidão imensa. 

Privilégio! Sim…

Quem consegue, “manter o amor na fotografia” “criando uma memória” para si mesmo “onde os olhos nunca fecham”, pode congelar o tempo e reviver os momentos, a qualquer instante. Isso é um privilégio! 

Porém, nem sempre sabemos eternizar o amor e suas conquistas, perdemos sua essência. Nem sempre valorizamos os pequenos detalhes que o torna eterno.

Bom! Espero ter valorizado, se não todos, pelo menos os fotografados pela memória do amor, que ao fechar dos olhos, os revivo no jardim do coração. Mas, talvez não tenha, porque nem sempre sentimos o aroma, nos detalhes, do momento que estamos vivenciando. Que importa! Tudo bem, porque consigo perceber que independentemente de onde esteja, o que esteja fazendo, com quem esteja, eu vou sempre, com toda força…

Verdadeiramente, completamente, inteiramente e intensamente amar, amar a Phoenix!!!  Porque…

"Amar pode curar
Amar pode remendar sua alma
E é a única coisa que eu sei
Eu juro que ficará mais fácil
Lembre-se disso em cada pedaço seu
E é a única coisa 
Que levamos conosco 
Quando morremos"
... o Amor ... 🐉💙🔥


Cláudio Cordeiro

Diálogo: A despedida

Dizer adeus é dizer sim ao recomeço. Herman Hesse escreveu que “ a cada chamado da vida o coração deve estar pronto para a despedida e para novo começo, com ânimo e sem lamúrias, aberto sempre para novos compromissos. Dentro de cada começar mora um encanto que nos dá forças e nos ajuda a viver. ”

A noite se esvai no amanhecer. Dragon desperta com o sol resplandecendo em seu corpo. A noite havia sido de encontro e despedida. Ainda sonolento, meio melancólico, lê a mensagem recebida naquele instante.

— Delicia te conhecer melhor…

— Até o nosso próximo encontro, seja lá quando for… Obrigada pelo perfume!!! 😘

Dragon relembra os momentos mágicos que vivenciaram, do anoitecer no pontilhão ao amanhecer na cachoeira, saboreando os beijos entre conversas intensas de experiência, compartilhando toques e desejos na entrega de seus corpos. Então, a realidade o despertou por completo. Chegou o momento da despedida. A Phoenix estava de partida para a cidade dos sonhos. Distante! Um oceano de distância.

Olhando fixamente, em direção ao horizonte, reponde a mensagem em sua própria certeza.

— … muito breve. 😃😍

— Gratidão, linda Phoenix, por permite te reencontrar e amar sem reservas, sem pudores.

— Você chegou, permaneceu por uns dias e deixou, em minha alma, a memória do sorriso refrescante, o olhar desafiador, a inteligência sedutora, a mágica suave da liberdade e o desejo de voar, voar e ser feliz. Nunca mais serei o mesmo de antes… antes fosse sempre este… que renasceu no reencontro de almas e redescobriu que tem asas.  Tenho asas… posso voar livremente, sem medo, sem dor, apenas voar e isso é fantástico.

E com a emoção estampada em seus olhos conclui:

— Voa Phoenix, rumo a cidade dos sonhos, levando nossos desejos, sonhos e nos faça renascer a cada pingo de saudade.

— Voa Phoenix, deixando a sensação de nunca estar indo.

— Voa Phoenix, permanecendo em meu amor.

— Voa Phoenix, durma, acorde, sonhe e renasça em meus braços despertando para uma partida de frescobol.

— Beijos… saudades…

Phoenix sorri disfarçadamente e responde:

— Dragon!!!

— Que lindo…

— Me fez pensar sobre a nossa pergunta inicial – porque a gente se encontrou agora? – quando disse: “Agora tenho asas… posso voar livremente, sem medo, sem dor, apenas voar e isso é fantástico.”

— Isso é liberdade!

— É bom saber que você descobriu que sempre teve asas.

— Acho que o propósito deste reencontro foi o de liberar amarras, suas e minhas…

— Libertar…

— Libertar…

— Para onde iremos voar não importa tanto, o que importa é que agora podemos voar! Muito obrigada.

— Vamos jogar muito frescobol!

— 😉

Dragon! Cerra os olhos, deixando se transportar no tempo de uma despedida, e no pensamento, com a certeza do reencontro, afirmando:

— Já estamos na partida… jogando. 🐉💙🔥


Existem momentos 
Que não se explicam...
Apenas acontecem
Lapsos no tempo 
Que se eternizam...
Na memória da alma

Existem detalhes
Que se expressam
No abraço atrevido
No beijo demorado
No toque sensual
No sorriso cativante
No olhar apaixonado
E permanecem...
Na intensidade 
Do momento

Momentos e detalhes
Que ausentes
Dá saudade
Saudade que invade
A inteireza da alma
Alma que derrama
Na imensidão da distância 
A saudade da partida.

See you soon! Love Phoenix!


Cláudio Cordeiro