Reflexão: Escolha Amar

Dragon caminhava pelo universo dos pensamentos, após assistir a uma peça teatral, e dialogava consigo mesmo sobre a oportunidade que os momentos nos ensejam a amar.

A peça de teatro intitulada "Raisin in the sun", de Lorraine Hansberry, traz um trecho realmente admirável, que convida o público a refletir sobre os valores que guardam suas almas.

Na peça, uma família afro-americana recebe uma grande quantia em dinheiro proveniente do seguro de vida do pai.

A mãe vê no dinheiro a oportunidade de abandonar a vida difícil que vivia no Harlem, e mudar-se para uma casa no campo, onde a qualidade de vida seria muito mais satisfatória.

A filha, uma moça muito inteligente, vê no dinheiro a sua maior oportunidade. Poderia estudar medicina e realizar assim seu sonho.

O filho mais velho, contudo, tem outros planos na aplicação do dinheiro. Ele apresenta um argumento difícil de ser ignorado. Ele propõe que o dinheiro seja utilizado para a dar início a um negócio em conjunto com um amigo.

Para convencer a família  ele alega que poderá trabalhar por conta própria e facilitar a vida de todos. Promete que, se puder lançar mão do dinheiro, proporcionará à família todos os confortos que a vida proporciona.

A mãe pensa e mesmo a contragosto resolve ceder aos apelos do filho. Ela entendeu ser uma boa oportunidade para o filho. Ela tem de admitir que as oportunidades nunca foram tão boas para ele, e que ele merece essa oportunidade que a vida está lhe oferecendo.

No entanto o tal “amigo” foge da cidade com o dinheiro. Desolado, o filho é forçado a voltar para casa e dizer à família que suas esperanças para o futuro lhe foram roubadas e que seus sonhos de uma vida melhor foram desfeitos.

A irmã atira-lhe no rosto toda sorte de insultos. Qualifica-o com as palavras mais grosseiras que se possa imaginar. Seu desprezo em relação ao irmão não tem limites.

Quando ela para um pouco para respirar, a mãe a interrompe e diz: “pensei que tivesse ensinado você a amar.”

A filha então responde: “amar? Não restou nada nele para eu amar.”

E a mãe diz: “sempre sobra alguma coisa para amar. E, se você não aprendeu isso, não aprendeu nada. Você chorou por ele hoje?”

Não estou perguntando se você chorou por causa de si mesma e de nossa família, por termos perdido todo aquele dinheiro. Estou perguntando se chorou por ele: por aquilo que ele sofreu e pelas consequências que terá de enfrentar.

Filha, quando você acha que é tempo de amar alguém com mais intensidade? No momento em que faz coisas boas e facilita a vida de todos?

Bem, então você ainda não aprendeu nada, porque esse não é o verdadeiro momento para amar. Devemos amar quando a pessoa está se sentindo humilhada e não consegue acreditar em si mesma, porque o mundo a castigou demais.

Se julgar alguém, faça-o da forma certa, filha, da forma certa. Tenha a certeza de que você levou em conta os revezes que ele sofreu antes de chegar ao ponto em que está agora. È preciso calçar a sandália alheia… e sentir sua textura.

Essa é a graça misericordiosa! É o amor ofertado quando não se fez nada para merecê-lo. É o perdão concedido quando não se tem forças para pedi-lo ou não se fez nada para conquista-lo. É a dádiva que flui como as águas refrescantes de um riacho para extinguir as labaredas que queimam na alma.

O amor que o pai nos oferece é muito mais abundante e generoso. A misericórdia de Deus é muito mais grandiosa e sábia.

Baseado no capítulo “Sempre resta alguma coisa para amar”, da obra “Histórias para o coração” – organizado por Alice Gray


O amor julga, promove desunião, agride, revida…? Não. O amor verdadeiro perdoa, acolhe, transforma.

Analise… analisar é uma postura que reflete maturidade. E quando usamos do discernimento na análise estamos sendo maduros emocionalmente.

Alie o discernimento (razão) ao sentimento (coração) e reflita na condição que está impondo ao outro. Sinta suas atitudes, perceba a dureza de suas palavras. Pergunte a si mesmo se gostaria de estar calçando esta sandália.

Por mais que as pessoas, na própria imaturidade, arraigadas as imperfeições – egoísmo, orgulho, vaidade, inveja… – tragam-nos mágoa, dor, sofrimento, desapontamento ou desilusão, lembremos de que sempre resta alguma coisa para amar.

Então! Seja quem perdoa, acolhe e transforma.


Cláudio Cordeiro 🐉

Reflita! Lembre-se! “Sempre Sobra Alguma Coisa Para Amar”

Momento: Inconfesso Desejo

"Queria ter coragem Para falar deste segredo Queria poder declarar ao mundo Este amor Não me falta vontade Não me falta desejo Você é minha vontade Meu maior desejo Queria poder gritar Esta loucura saudável Que é estar em teus braços Perdido pelos teus beijos Sentindo-me louco de desejo Queria recitar versos Cantar aos quatros ventos As palavras que brotam Você é a inspiração Minha motivação Queria falar dos sonhos Dizer os meus secretos desejos Que é largar tudo Para viver com você Este inconfesso desejo"

Carlos Drummond de Andrade


Recostado sob frondosa árvore, Dragon admira o esplendor do entardecer. Acabara de ler memorável poema do poeta mineiro – Carlos Drummond. Seus pensamentos invadem o ambiente redor, perfumando a natureza com o inconfesso desejo.

Assim como o poeta mineiro também tenho… um inconfesso desejo de revelar o AMOR…

Que sinto e decodifica minha alma expondo todas as mais secretas intenções de amar

Que vivo e inibe todos os medos de amar

Que rompeu com as barreiras do convencional, me permitindo adentrar novamente no campo da imaginação, dos sonhos de amar

Que é a mais bela energia criadora e propulsora do infinito desejo de amar

Que motivou a força interior na busca da chave que rompeu a resistência de amar

Que arrebentou as grades de uma vida sem sabor, possibilitando a liberdade de amar

Que coloriu meu mundo com cores vivas na arte transformadora de amar

Que iluminou a estrada do futuro com a luz da felicidade de amar

Que é vigoroso alicerce sustentador da construção que abriga a opulência de amar

E sua maravilhosa inspiração que alimenta meus sonhos, a cada noite, na certeza de ter encontrado o verdadeiro caminho que conduz aos detalhes da simplicidade de amar.

Nada mais inconfessável do que o desejo de desejar o inconfesso desejo…

de confessar a loucura dos secretos pensamentos de amar

de gritar a insensatez dos indefinidos modos de amar

de falar a linguagem capaz de definir os encantos de amar

de cantar a construção das notas verdadeiras e plenas do sentido de amar

de escutar o som do coração que me conduz ao delicioso prazer de amar

de olhar a felicidade que explode além das fronteiras de amar

de caminhar sendo o que sou, sendo livre e tendo a liberdade de amar

de viver no pensamento e ser amado na plenitude do sentimento de amar

E hoje…

Confesso meu inconfessável desejo de descobrir quando é agora o melhor momento para amar Amar a encantadora Phoenix.

… AGORA É O MELHOR MOMENTO DE SEMPRE AMAR… PHOENIX.


Cláudio Cordeiro 🐉

E você já descobriu AGORA quando é o melhor momento para AMAR?

Diálogo: Almas Gêmeas

“Eu reconheci você instantaneamente. Todas as nossas vidas passaram pela minha mente em uma fração de segundo.

Eu senti uma atração tão forte por você que quase não consegui parar. – J. Sterling, In Dreams

Amanhece… o som da noite, em seu sonho, ainda suspira mansamente. O frescor da manhã chega vagarosamente com a brisa úmida a invadir toda a caverna do Dragon. A varanda recebe em seu frescor a doce presença da Phoenix. Esparramada na espreguiçadeira, vislumbra a singular presença da manhã, imersa em pensamentos, reflexiva, estampando um sorriso vivido num olhar translúcido.

Refletia e seus sentimentos transbordavam ao pensar no Dragon. Seus pensamentos esparramados pela brisa invadem o ambiente… como a Phoenix e o Dragon se conheceram. Por mais que tudo indicasse as coincidências, sentia que havia algo mais, afinal, ela sentia que o conhecia desde antes… Seriamos almas gêmeas?

Lentamente, como se estivesse a ler os seus pensamentos, Dragon, se aproxima e a surpreende com um delicioso beijo em seus lábios. Senta ao seu lado e rapidamente o diálogo, o amor se fazem presentes.


O que pensa esta mente em chamas, a observar tão maravilhoso amanhecer? – Perguntou Dragon.

– Dragon, estava me lembrando do dia em que nos reencontramos. E poderia descrever com uma citação do J. Sterling – “Eu reconheci você instantaneamente. Todas as nossas vidas passaram pela minha mente em uma fração de segundo. Eu senti uma atração tão forte por você que quase não consegui parar. ” Não acha estranho que já nos conhecíamos desde antes de nos conhecermos? Devo estar ficando maluca.

Minha adorável Maluca! Não acho estranho. – Carinhosamente respondeu Dragon e concluiu.

– Quando duas Almas afins estão na estrada da vida o Universo se encarrega de aproximá-las.

– As almas afins se olham e enxergam o amor na alma. Porque o amor é mágico e só percebemos isso quando sentimos o olhar, é fotografia com olhos sonhadores, é esperança na incerteza do momento, é fio sútil que permite o encontro no reencontro de almas, é perceber que já nos conhecíamos desde antes de nos conhecermos.

– No momento de nosso reencontro, imediatamente nossos olhos sonharam, sentimos pulsar o amor em nossas almas, percebendo a indescritível sensação de amar.

– Então! Percebemos que encontramos o amor de nossas vidas, a alma gêmea separada, e sabemos que nem mesmo a distância fora capaz de escondê-la de nossos olhos.

Ah, não sei. Acredito ser algo mais do que apenas “Almas afins”… Esta sincronia de pensamentos, amalgama de sentimentos, e similaridades de gostos e maneiras de sermos, o nosso fogo conjunto, e o fato de ambos possuirmos asas e sermos livres… Talvez sejamos um caso de almas gêmeas! – Enfatizou Phoenix

Almas gêmeas? – Dragon ficou a pensar.

Sabe meu querido Dragon, refletindo sobre as almas gêmeas, tenho minhas crenças… Pelo que entendo, é algo como “a outra metade” que completa a inteireza, a combinação perfeita de dois opostos, tipo uma alquimia na química dos elementos, com hemisférios positivos e negativos, em uma totalidade única… Talvez por isto os encontros sejam tão raros… E baseada nisto, posso prever por que as almas gêmeas não ficam juntas com frequência, e mesmo quando elas têm a chance de se reconectar, elas na maioria das vezes ainda se separam.

Por que pensa que isso acontece, se tudo o que buscamos é encontrar nossa almas gêmea? – Pergunta Dragon

Dragon, nós somos seres impulsionados pelo crescimento e pelo desenvolvimento, e por isso acabamos nos conectando com nossas combinações imperfeitas para nos ajudar a expandir, a crescer a nossa espécie e, consequentemente, nos desenvolver como um todo. O desequilíbrio das conexões que não são almas gêmeas acaba criando uma unidade de almas gêmeas mais equilibradas e em constante evolução que, dentro de sua própria grandeza, é perfeita, contendo o que é no interior, e sendo exatamente como deve ser. E do jeito que é, é absolutamente perfeito dentro da totalidade da alma gêmea em que todos estamos juntos. Nós somos um!

Dragon na profundidade de um olhar diz: Alma Gêmea ou não… Nós somos um! Aqui. Agora. Sempre. Sorri. Se aproxima, enlaça a Phoenix em suas asas e sussurra em seu ouvido o doce poema de Rabindranath Tagor, que guardava em seu coração.


"Amor sem fim

Parece que te amei de inúmeras formas, inúmeras vezes ...
Vida após vida, era após era, para sempre.
Meu coração fascinado fez e refez o colar de canções,
Que você leva como um presente, usa em volta do pescoço em suas muitas formas,
Vida após vida, era após era, para sempre.

Sempre que ouço velhas crônicas de amor, é uma dor milenar,
É uma antiga história de estarmos separados ou juntos.
Enquanto eu olho continuamente para o passado, no final você surge,
Vestido com a luz de uma estrela polar, perfurando a escuridão do tempo.
Você se torna uma imagem do que é lembrado para sempre.

Você e eu flutuamos aqui no riacho que traz da fonte.
No cerne do tempo, amor de um pelo outro.
Jogamos ao lado de milhões de amantes,
Compartilhado na mesma tímida doçura de encontro,
as lágrimas angustiantes de despedida,
Amor antigo, mas em formas que se renovam e se renovam para sempre.

Hoje está amontoado a seus pés, encontrou seu fim em você
O amor de todos os dias do homem, tanto no passado como para sempre:
Alegria universal, tristeza universal, vida universal.
As memórias de todos os amores se fundindo com este nosso amor -
E as canções de cada poeta do passado e para sempre.”


Cláudio Cordeiro 🐉 & Cris Repolês 🔥

E Você já encontrou sua Alma Gêmea?

Momento: Corpo e Alma

“Explicar o que sentimos por uma pessoa especial e por quem nos apaixonamos sob os termos estritos da química do amor é subtrair a magia do assunto. ” – Albert Einstein

Phoenix!

Eu me perco na picante sensualidade de seu corpo,

E me encontro na doce suavidade de sua alma.


Indescritível! Exuberante!
A Sensação que desperta em meu corpo, minha alma

Ao despir seu corpo suavemente
Amando-o intensamente.

Ao sensualmente cativar sua alma
Contemplando-a inteiramente.


Me encanta! Me seduz!
O exato momento 
Que nossos pensamentos se tornam um.

No proceder irreverente do seu corpo
Que fica a me provocar
Solicitando carícias e afagos.

No olhar despretensioso de sua alma
Que permanece a me convidar
Desejosa de carinho e amor.

Phoenix!

Eu me perco nas tortuosas e prazerosas curvas de seu corpo,

E me encontro na saborosa ingenuidade de sua alma.


Indescritível! Exuberante!
A Sensação que desperta em meu corpo, minha alma

Ao tatear seu corpo delicadamente,
Com beijos e suspiros
Enlaçando seus lábios
Em minha Alma

Ao navegar sua alma calmamente,
Com olhares e sorrisos
Conduzindo seus desejos
Em meu corpo.


Me encanta! Me seduz!
O exato momento 
Que nossos corpos se tornam um

No balanço frenético e 
Descompassado do seu corpo
Conduzindo meu corpo
Ao mar do prazer

No perfume intenso e 
Sedutor de sua alma
Encaminhando minha alma 
Ao jardim do coração.

Onde a sensação de prazer e amor se acumpliciam


Eu me perco…

Eu me encontro…

No encantador reencontro de nossos corpos,

No inebriante reencontro de nossas almas,

Na liberdade de amar de corpo e alma – a Phoenix.


Cláudio Cordeiro 🐉

E Você já se Encontrou na Liberdade de Amar de Corpo e Alma.

Poema: Phoenix! Mulher de Infinita Beleza

“As pessoas são como vitrais. Elas cintilam e brilham enquanto o sol está no céu, mas quando a escuridão desce, sua beleza só se revela quando há uma luz no interior.” – Elisabeth Kubler

Seu corpo!
Estrada de curvas encantadas,
Perfeitas, sedutoras, alucinadas,
Onde meu desejo transita.


Seus olhos!
Esferas de brilho sensual,
Profundos na magia universal,
Onde minha alma reflete.


Sua boca!
Fonte de lazer,
Calientes de prazer,
Onde meu pensamento se expressa.


Seus lábios!
Moradia de desejos,
Uma poesia de ensejos,
Onde meu beijo silencia.


Seu abraço!
Oásis de inspiração
Um roteiro de intenção
Onde meu corpo permanece.


Sua voz!
Sons de sedução,
Melodia de uma canção,
Onde meu poema vibra.


Seu Sorriso!
Expressão de felicidade,
Alma em expressividade,
Onde meu amor fantasia.


Sua alma!
Leveza que encanta,
Luz do aconchego,
Onde minha alma existe. 

Cláudio Cordeiro 🐉

E você como descreveria a Infinita Beleza de sua Mulher?

Momento: A Tinta Invisível do Prazer

“São coisas em comum que fazem relacionamentos agradáveis, mas são as pequenas diferenças que os tornam interessantes. ” – Todd Ruthman


O relacionamento – namoro, noivado ou casamento – não precisa ser complicado e sem o sabor do desejo, da presença que colore os momentos. Bem sabemos disso, não é?

Muitos dizem: Como manter um relacionamento assim… Outros bradam: Vocês são loucos…

We (Dragon and Phoenix) respondemos: É, somos loucos…muito loucos…

E somos ainda mais loucos e geniais quando nos permitimos amar sem os limites do convencional e do tradicional, utilizando a linha intangível da emoção que conduz a carruagem do prazer nos caminhos da ruptura da distância física.

Em tempos modernos, a tecnologia – Viber, WhatsApp, Skype – promove a ruptura da distância facilitando o contato e assim nos permitindo colorir as páginas do relacionamento à distância com a fio imaginário do pensamento, nos possibilitando sentir o toque, o cheiro e um prazer indescritível.

Este colorido só quem ama consegue enxergar. Só quem ama irá compreender. Só quem ama conseguirá sentir. Absolutamente é muita loucura em tanto prazer! Ou será muito prazer em tanta loucura? O que interessa… É simplesmente uma delícia de loucura prazerosa na prazerosa loucura.

As páginas do livro do relacionamento podem ser escritas, coloridas, rasgadas, amassadas, picotadas… A escolha do que fazer, do como fazer, e porque fazer e se fazer, pertencem a cada um. We (Dragon and Phoenix) escolhemos escrever e colorir as páginas do nosso livro com a tinta invisível do prazer utilizando a caneta do amor.

Como?

Através da beleza dos sonhos e da imaginação do Dragon conduzindo a Phoenix por caminhos que levam ao parque – entre árvores e lagos, que levam a praia – entre coqueiros, pedras e ondas, ao restaurante japonês – com uma divina barca de sushi, sashimi de salmão e salada sunomono, ao bar – com uma bela sinuca e muito chopp, ao carro – pequeno mas poderoso, o sofá – super macio e confortável, a parede – branca e escorregadia, a cozinha – com seu chão geladinho e repleta de frutas e com a sua bancada de mármore negro – tudo do tamanho exato, e assim, os caminhos vão surgindo diante da emoção cotidiana do amar.

Não importa – onde, quando, como – todos os caminhos conduzem ao local onde o prazer encontra seu apogeu na exuberância da paisagem, observada pela janela de vidros transparentes, por onde os raios solares invadem ao amanhecer, os feixes do luar banham a encantadora cama com sua colcha avermelhada. De onde se vislumbra o céu alaranjado, ao entardecer, e as intensas luzes da grande metrópole, refletindo no onipotente rio azul, compondo o finalizar desse caminho, rabiscado com as tintas invisíveis do amor, pleno e intenso. Nos fazendo delirar de prazer ao sonharmos com o dia em que lá será o hoje, o amanhã e o sempre ninho aconchegante do Dragon e da Phoenix.


Cláudio Cordeiro 🐉

E você nos chamaria de Loucos…? Ou consegue enxergar a Tinta Invisível do Prazer?

Reflexão: Companheiros do Amor

“O comportamento é um espelho onde cada um mostra a sua imagem” – Goethe

def2c99d5f3838bc3d823acea9152ad3[1]

Dragon refletia sobre as nuances do relacionamento…

O amor verdadeiro, quando invade os corações enamorados não o faz sozinho e não cresce desacompanhado. Ele traz consigo alguns companheiros que o auxiliam a solidificar as bases de um relacionamento maduro e gratificante, baseado no diálogo, no respeito as diferenças, na disciplina das atitudes afetivas.

Quem são esses singelos companheiros?


A confiança - aconselha e permite ao amor conviver em paz e harmonia, construindo um relacionamento baseado na certeza de que as atitudes e palavras são verdadeiras;
O respeito - aconselha e permite ao amor viver em liberdade sempre fiel ao relacionamento;
A admiração - aconselha e permite ao amor tornar o casal cúmplice no crescimento, rompendo todas as fronteiras - você é ele e ele é você;
A compreensão - aconselha e permite ao amor entender os momentos de estupidez causados pela ignorância do preconceito, do orgulho e da pretensão;
A renúncia - aconselha e permite ao amor ser menos egoísta, ajustando os interesses pessoais às necessidades do casal;
A bondade - aconselha e permite ao amor ser generoso em sua grandeza de perdoar e seguir na construção da felicidade;
A alegria - aconselha e permite ao amor transformar o mau humor em sorrisos que iluminam e perfumam o relacionamento;
A gentileza - aconselha e permite ao amor observar sem julgamento ou critica as palavras e atitudes do companheiro(a);
A simplicidade - aconselha e permite ao amor colher no jardim do coração palavras singelas de incentivo;
A delicadeza - aconselha e permite que o amor toque com suavidade o corpo para sentir a maciez da alma;
A humildade - aconselha e permite ao amor não ter sempre razão e almejar ser feliz;
A gratidão - aconselha e permite ao amor reconhecer a importância de estar vivenciando a oportunidade de amar intensamente e sem limites;
O desejo - aconselha e permite o amor desejar intensamente o encontro dos corpos saboreando o prazer.

Esses companheiros aconselham e permitem ao amor ser sempre mais amor, ampliando a capacidade de amar e ser feliz no relacionamento.

Experimente! E você terá a oportunidade de vivenciar momentos de extrema leveza e suavidade no seu relacionamento.


Cláudio Cordeiro 🐉

 E no seu Relacionamento… os companheiros singelos do Amor estão presentes?

Momento: O Som da Phoenix

“A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. É no vazio da jarra que se colocam flores.”

Rubem Alves

… e nós encontramos no vazio de um silencioso momento almejado o caminho perdido de nós mesmo.

Dragon 🐉

Em sua cova iluminada apenas pelo brilho do olhar, Dragon, sintonizava os pensamentos com a bela Phoenix. A distância! Que importa! Juntos e conectados estavam.

Deitado na maciez da aconchegante pedra marrom, as palavras sorviam facilmente por temas diversos. Falavam de tudo e tudo sentiam. Vivenciando cada pequeno sentimento e momento apresentado. Trabalho, sonhos, vida e desejos… alegremente pulavam de um a outro assunto.

E na intensidade do instante a respiração se torna ofegante, os batidos do coração estão sintonizados numa hipnose fantástica de volúpia. Dragon enlaça os pensamentos mais secretos da Phoenix, e no suspiro de um segundo adentra o ninho repleto de desejo, para enamorarem noite adentro. A sensualidade das palavras e o arder do sentimento reduzia o agora – o espaço e o tempo – na doce noite de prazer.

Sutilmente, Dragon conduz a inebriante Phoenix por caminho construído com as cores do arco-íris, iluminado por vagalumes perfumados de felicidade, até pequeno Parque, de frondosas árvores, belo e majestoso lago rodeado de flores lindíssimas e incontáveis sons, onde a natureza produziu majestosa clareira repleta de grama macia e flores do campo.

No esplendor desse cenário o prazer sem fim apoderou-se dos amantes em inconfessos desejos. E a noite se fez escura acompanhada de intensos clarões dos relâmpagos e estrondos dos trovões. Ali em meio a relva verdejante, sob a bolha do amor, os inocentes e distraídos amantes, estavam protegidos em cada movimento de sensualidade e devaneio.

O prazer foi sentido no toque de amar. O toque sentido na pele, no balanço frenético dos corpos e percebido no perfume exalado no instante mágico do êxtase. A volúpia do desejo se fez permanente em cada movimento, em busca da insustentável leveza do amor, numa explosão de sons que cantavam o infinito clímax em regalo (isso mesmo… indescritível sensação descrita. Tente sentir).

Em suas asas esplendorosas, Dragon segue com a Phoenix. Adormecida e extenuada, deita-a suavemente em seu ninho acolchoado e avermelhado.

Dragon fecha os olhos – navega no espaço e tempo – da Cova fica a observar…

O Ninho é invadido pelo vento que sopra forte a assobiar – uma cantiga doce e prazerosa – trazendo a suave chuva como orvalho a gotejar. A Phoenix inundada pelo suspirar faz do Ninho a bela pira a se queimar… enfim, Phoenix, renasceu do fogo ardente – da pira de palmeiras – em meio a notas musicadas de infinita beleza lançando o estonteante “Som do Coração”. O mais suave e doce ruído a ecoar do Ninho para a Cova…

Rápido, ligeiro…

Leve, meigo…

Encantador, surpreendente…

Escorregou baixinho, com tom de medo, pela gretinha aberta – no escorrer do orvalho no momento de prazer sobre a relva – do coração. Ecoando forte pela natureza – promovendo indescritível sensação de amor – foi conduzido pelo relâmpago iluminando o infinito momento de ser sempre agora escutado na percepção do Universo.

O Som do Coração foi assim…. A canção do amor que chegou 🐉💙🔥


“Eu não sei, não sei dizer
Mas de repente essa alegria em mim
Alegria de viver
Que alegria de viver
E de ver tanta luz, tanto azul!
Quem jamais poderia supor
Que de um mundo que era tão triste e sem cor 
Brotaria essa flor inocente
Chegaria esse amor de repente
E o que era somente um vazio sem fim
Se encheria de cores assim
Coração, põe-te a cantar
Canta o poema da primavera em flor
É o amor, o amor chegou 
Chegou enfim"

Vinicius de Moraes

Cláudio Cordeiro

Você é a canção de toda transformação!

Poema: Primavera na Vida

“Descobrir o amor e nos encantar com a vida…”

Phoenix

Um poema singelo, sensível e sincero, escrito com a memória do coração na inteireza da alma – do Dragon – que pulsa intensamente o amor pela Phoenix!

O amor... O amor encanta a vida! 
É leve, solto e nasce da simplicidade...
De um bom dia com afeto, 
De um sorriso com brilho no olhar, 
De um olhar com serenidade,
De um gesto com gentileza,
De um abraço apertado, 
Tudo na intenção da felicidade esparramar.

O amor... O amor encanta a vida! 
É leve, intenso e acontece...
Em dias de Verão na vida 
Quando pedimos desculpas, sem ter culpa 
Em dias de Outono na vida
Quando aceitamos o outro como ele é.
Em dias de Inverno na vida 
Quando buscamos no abraço se sentir seguro
Em dias de Primavera na vida 
Quando floresce em direção ao outro.

Descubra o amor e se encante com a vida... 🐉💙🔥

Cláudio Cordeiro