Momento: Inconfesso da Saudade

“Deixe demorar dentro da alma apenas o inconfesso desejo que alimenta a volúpia em amar seu amor.” – Dragon 🐉

Na simplicidade da Caverna, no íntimo de seus aposentos – Dragon – ainda sonolento, esparramado pela imensa cama vazia, vagueia pelo mundo dos pensamentos, na tentativa de identificar os sentimentos aflorados em seus sonhos. Observa as árvores trêmulas, pelo vento a esvoaçar as folhas, sentindo a claridade despontando no amanhecer do domingo. Saboreando intensamente o céu azul e límpido, seus desejos alçam voo, na imensidão do espaço, conduzindo sua imaginação pelos caminhos da saudade de um amor distante.

Na leveza de um movimento seu olhar percorre todo o ambiente a procura da doce presença sentida. Em vão. No ambiente apenas a solidão do sonho em pensamento. Na beleza do pensamento sentido, repleto de emoção, o desejo se faz saudade, molhado pelo orvalho das lágrimas que escorrem abundante pelo peito cheio de tristeza.

Dragon fica a conversar com seus pensamentos, tentando compreender esse sentimento que o sufoca e revive. “A sensação que invade a alma, adentrando meu ser é indescritível, não faz sentido… sinto medo e desejo, alegria e tristeza, percebo a felicidade tão perto e distante ao mesmo momento.”

E no afogar dos sentimentos incompreendidos, Dragon brada com o olhar fixo no horizonte, a dor e o desejo daquele momento:

Onde estará tão doce e meiga presença?


Hoje acordei!
Com vontade
De dizer
De olhar
De abraçar
De escutar
De tocar
De sentir
Com desejo... de sua presença.

Com desejo 
De te dizer
E ai! Que tal um “café”
E ai! Hora do “almoço”
E ai! Tem “janta” antes de dormir
Refeição completa...
E no final, apenas te olhar!

Com vontade 
De te olhar
Sentada na varanda
Vendo o entardecer 
Na cidade dos sonhos.
Sentada no sofá
Assistindo um filme.
Sentada na cama
Conversando sobre tudo e nada.
Sentada no carro
Dizendo... apenas olhando...
E no final, apenas te abraçar!

Com desejo 
De te abraçar
Intensamente ao amanhecer
Inteiramente ao entardecer
Imensamente ao anoitecer
E no final, apenas te escutar!

Com vontade 
De te escutar
Contar histórias
Reclamar, desabafar, sorrir
Falar, vamos estudar
E no final, apenas te tocar!

Com desejo 
De te tocar
No amanhecer
No tomar banho
No sair para passear
Me encantar
E no final, apenas te sentir!

Com vontade 
De te sentir
Presente em minha vida
Presente em nossa casa
Presente no próximo encontro
Presente nessa imensa saudade.

Hoje acordei! 
Com a vontade inconfessável do desejo de desejar o inconfesso desejo...
Com vontade de desejar o inconfesso desejo de te amar.

Cláudio Cordeiro 🐉

Sensual: Que desejo! Quanta ânsia!

“As vezes eu queria voltar em alguns momentos da minha vida. Não pra mudar nada, só pra sentir algumas coisas duas vezes…”

398637

Phoenix!

Que desejo ardente em ver o olhar (caliente) em seus olhos (expressivos)

Quanta ânsia em sentir em teu rosto o sorriso encantador e radiante

Que desejo ardente por seus lábios grandes e eloquentes

Quanta ânsia em sentir o gosto doce do seu beijo

Que desejo ardente de soprar em seus ouvidos os sons do prazer

Quanta ânsia em ouvir sua voz trêmula em êxtase

Que desejo ardente pelo escorregar suave de seu toque sobre meu corpo

Quanta ânsia em sentir seu corpo macio e leve entrelaçado ao meu

Quanta ânsia! Ânsia de você…

Uma alma desejosa pelo amor na ânsia do prazer.

Que desejo! Desejo de você…

Um corpo ansioso pelo prazer no desejo de amar.



Cláudio Cordeiro 🐉

Reflexão: Tem Gente que é Amigo

“A amizade é o conforto indescritível de nos sentirmos seguros com uma pessoa, sem ser preciso pesar o que se pensa nem medir o que se diz.”George Eliot

9dd5cd307b9595c83e4bb2f98b26ae67

Amigo! Uma singela expressão da vida.

Bem assim! ...
Tem Gente que nos faz tão bem,
Que nos toca a alma de tal forma,
Que só por existir já nos conforta.

E o coração... fica repleto de amor e grato, com sua existência.

Tem Gente que merece nossa amizade,
Que possui alma nobre, olhos bons,
Que vive o bem praticando a generosidade.

E o coração... fica repleto de alegria e paz, transbordando amorosidade.

Simples assim! ...
Tem Gente que, de cada um, o melhor consegue enxergar,
Que fazem questão de expressar,
O quanto são especiais,
Que fazem questão de ressaltar,
As qualidades nada triviais,

E o coração... fica repleto de sorrisos e felicidade, entornando autoestima.

Tem Gente que é quase um irmão,
Que fala pelo olhar, sabe te escutar,
Que não sabe te julgar e tem o pé no chão.
Que faz a diferença, te fazendo contente,
Que se vira para estar sempre ao seu lado,
Que é nossa versão melhorada, dizendo sempre o que sente.

E o coração... fica repleto de sinceridade e mansidão, esparramando gratidão.

Amigo… sente o que realmente diz!

Amigo… realmente sabe ser amigo!

Amigo… certo das horas incertas!

E a canção poderia dizer: “Tem amigo que chega e muda os planos da gente e faz a nossa vida caminhar pra frente…”


Cláudio Cordeiro 🐉

Momento: O Despertar

Simples assim! A gente vai escrevendo nossos dias com nossos sonhos, nossas aventuras, nossos momentos. Colocando em cada um deles nossos sentimentos, nossas vontades, nossas decepções.. Uma vez escrito, já não dá mais para apagar…” – Dragon 🐉

2020!

Quando você chegou… trouxe junto inimagináveis vírus – de dor, decepção, angustia e sofrimento – nos afogando em lágrimas e solidão. Se machucou? Destruiu o emocional, a harmonia, a naturalidade e a simplicidade do ser inteiro, estando intenso no momento! E despertou!

Foram tantos recomeços em meio a solidão, isolamento em lágrimas e alguns risos sem razão. Inúmeros soluços, incontáveis partidas acompanhadas de sofrimento e, ainda assim permanecemos arraigados em nossos apegos e míseros desejos egoístas de prazer momentâneo.

Enquanto seus dias passavam, sentíamos a presença daquele desconforto que a luz causa quando abrimos os olhos pela manhã. Fomos saindo da escuridão, lentamente, e finalmente conseguimos ajustar a visão para enxergar quem somos e compreender que merecemos muito mais do que até então estávamos aceitando receber.

Foi o despertar…

Para a importância do respeito para comigo mesmo, de ser suficiente, e de me amar.

Da consciência dos limites, da convivência pacífica na verdade.

Do entendimento de que dizer não para algo que nos faz mal – ainda que prazeroso – é preciso.

Para a liberdade de compreender o quanto é importante os amigos, a família, as pessoas.

Do desapego e da necessidade de aprender a ser feliz sozinho.

Da resiliência e permanência na estrada do bem, na trilha da gratidão, iluminada pelo amor ao próximo.

Despertei para a vida e os valores do Espírito… e agora ninguém mais vai segurar essa força, essa luz que brota no universo do meu ser, adubada pela conquista da verdade, da cura, da paz.


Não guardo mágoas, nem rancores. No fundo, esse vírus, foi instrumento de rompimento da ilusão enganosa, da miragem construída em aparências, do despertar da consciência, um tapa de lucidez na cega confiança, me fazendo acordar para a vida, o perdão, a resiliência e a compaixão. Bendita foi a sua função e a lição que me permitiu vivenciar.

Você veio e que bom que não foi para ficar, porque o fim é o principiar de um novo recomeço, uma Benção Divina. A benção do recomeço, senão curado, no caminho da cura, que tanto almejávamos…

Agora deixo o doloroso vírus – devorador de sonhos, destruidor do equilíbrio emocional, vampiro da intimidade, proporcionador de dor e sofrimento constante – descortinado e incompreendido, na escuridão de si mesmo.

Caminho rumo a novos horizontes! Disposto a passear pela estrada encantada da emoção harmoniosa, do equilíbrio, da energia pacifica no amor que jorra abundantemente de m’alma. Porque agora, me conheço ainda mais, enxergo mais claramente os meus valores e propósitos, minhas crenças, e o que o verdadeiro amor deve realizar.


2021!

Chega na “varanda” da vida, ainda com resquícios da ignorância, do egoísmo nas atitudes percebidas, despertando o amor próprio, descortinando a capacidade de superação existente na alma, a importância da vivência dos valores reais, proporcionando um inefável mergulho naquilo que verdadeiramente sou e mereço.

Aporta na “sala” da alma, iluminando a mente, o coração e me permitindo compreender que esconder a verdade sempre parece ser a opção mais fácil… apenas parece, mas nem sempre é.

Adentra no “quarto” da consciência, ascendendo a chama da intuição, clareando a floresta negra da manipulação. E, no olhar cauteloso dos momentos, enxerga nos detalhes a verdade, percebendo que os cegos não são aqueles que não veem… mas aqueles que caminham na escuridão de si mesmo.

Acordei! Viajei no infinito tempo, saindo do pesadelo da ilusão, para acordar e renascer na mágica caverna dos sonhos, embalado na brisa esperançosa da cura amorosa. Voando do poente e adoecido – 2020 – para o nascente e promissor – 2021 – encontrei no inabalável amor e seus fiéis escudeiros – compreensão, entendimento, paz, sabedoria, discernimento, respeito, reciprocidade, verdade, integridade, companheirismo, leveza – construtores de valores íntimos verdadeiros e curativos. E, nada se compara a força de quem acordou para o próprio valor e vislumbrou a luz em meio a escuridão.


Cláudio Cordeiro 🐉

Momento: Um Poema ao Amanhecer

“O amor é permanência de delicadeza.  Amar é elegante.” – Ita Portugal

Cabe somente a nós, e a mais ninguém, a decisão de encontrarmos o amor, e caminharmos verdadeiramente com ele na estrada da vida, e assim complementar na inteireza da alma a conquista da paz interior. Ser intensos no sentimento de doçura, carinho, ternura, paixão, que nos faça permanecer no jardim do querer. Nós estamos sempre no comando do jardim a ser explorado e das flores que serão cultivadas.

Ah, o amor! Sentimento magnífico

Que encanta e desencanta
Que harmoniza e desarmoniza
Que equilibra e desequilibra
Que acalma e desatina
Que faz dormir e tira o sono
Que faz rir e chorar
Que dá esperança e desespera

Ah, o amor! Sentimento de esplendor

Que encanta meus ouvidos
Que harmoniza meus pensamentos
Que equilibra meus desejos
Que acalma minha alma
Que faz dormir minha saudade
Que faz rir meu coração
Que dá esperança a meus sonhos

Ah, meu amor! Magnífico Esplendor na arte...

Arte de amar! Amar o "amor" plenamente.
Arte de ser! Ser o "amor"  inteiramente.
Arte de viver! Viver o "amor" intensamente.

“Porque metade – Dragon – é amor… E a outra metade – Phoenix – também!”


Cláudio Cordeiro 🐉

Reflexão: Tempo… Sinfonia do Recomeço

“Simples assim! A tinta invisível do amor, rompe o espaço no tempo, e rabisca páginas encantadoras de sonhos, e sonho, mantendo a energia da vida, cansado de ir, sonolento de vir, na silenciosa e profunda “fome” de permanecer.” – Dragon 🐉

“A vida é uma infinita dança suave no eterno palco chamado tempo, para apresentação do Eu, do poder de escolha e o caminhar natural da vida, como vento que penetra em nossos cabelos e dá forma a um bonito esvoaçar.” – Dragon

O tempo!

Maestro da experiência vivenciada, da sabedoria construída, da maturidade que chega, afinando os instrumentos no recomeçar do reencontro e, a vida muda, as pessoas se esvaem, se transformam.

No viver da experiência, aprendemos que o tempo é um instrumento afinado, entendendo que devemos utilizá-lo na “orquestra” da vida. Refletimos e percebemos que o importante é dividi-lo com quem caminha na mesma vibração, na mesma sinfonia, desenhando na partitura, da vida, as notas musicais que completam o magistral “sonho real” de viver, amar e dedilhar os acordes da felicidade…

No viver da sabedoria, descobrimos que o desconhecido pode ser algo maravilhoso, quando nos permitirmos construi-lo corajosamente e inteiramente na integridade de nós mesmos, compreendendo que não existe mais tempo para rebeldia, tropeços, enganos, ilusões…

No viver da maturidade, desejamos a verdade, o melhor, a realidade, a harmonia musical dos instrumentos. E, se o tempo nos oferecer uma nova partitura, apontar desafino, novas melodias, então, mudamos o instrumento, a afinação, a música, respeitando a exuberante sinfonia do amor na arte de viver, amar e recomeçar…


Fico a refletir 
Na magistral orquestra da vida
Na leve e doce sinfonia sonhada
Sentindo o fluir 
Da energia musicada
No tempo da vida.

Vivo inteiramente 
Uma vida intensa 
No simples lapso do instante
Experimento no momento
A infinita eternidade 
Sem vivenciar a nostalgia.

Sou intenso e inteiro 
Na integridade de ser 
Da partitura orquestrada
Na oportunidade ímpar
Da sinfonia sonhada 
Reencontrar no tempo 
O equilíbrio harmônico 
Do amar e desejar.

Na experiência musicada
Na sabedoria entoada
Na maturidade do tempo
Pelo silêncio orquestrado
Tendo tudo a aprender
Nada a dizer
Afinar o instrumento
Reencontrando na alma 
O caminho do amor.

Cláudio Cordeiro 🐉

Reflexão: A Coragem de Ser

“Os mais corajosos são claramente aqueles que tem a visão mais clara do que está diante deles, tanto a glória quanto o perigo… e, mesmo assim, vão ao seu encontro. ” – Tucídides

“E eu sei muito bem o que é isso. Só existe coragem quando há escolha a se fazer.” – Dragon 🐉

Dragon sabe quem eu sou. Sim! Dragon sempre soube!

Venho rabiscando teus traços ao longo destes anos e confesso: a cada dia que passa, percebo estar longe do esboço final. Os traços delineados são incompletos e modelam apenas um contorno refletido das aparências momentâneas. O quadro não pode ser pintado em seu esplendor. Faltam inúmeros rabiscos, traços e tonalidades, a refletir a integridade observada, na exuberância exposta de uma realidade ilusória.

Somente a Phoenix, com coragem e ousadia, pode pegar a lapiseira invisível do amor, da verdade, da realidade – sobre si mesmo – e traçar os rabiscos que faltam com as cores da coragem. Ainda que as cores sejam grosseiras, os rabiscos imperfeitos ao extremo, e os traços fortes e escuros, refletindo momentos de dores, medos, inseguranças, sem eles não há inteireza na lisura da imagem refletida. Qualquer tentativa do Dragon em preencher os espaços internos, ainda vazios do contorno visível e desenhado, resultaria em deformar com intensidade absurda a imagem da realidade.

Meus pensamentos me remetem a visualizar um roseiral em meio a um matagal de ervas sufocantes, daninhas que roubam a energia, o perfume e o brilho dos botões em florescimento, ofuscando toda a beleza e esplendor das rosas. Ainda assim, o jardineiro consegue visualizar o despontar do brilho, o leve aroma do perfume, a tímida energia por entre tantas ervas daninhas a rodear e sufocar o magistral roseiral. Entretanto, o jardineiro também precisa enxergar na escuridão os espinhos escondidos por entre os caules e folhas do doce roseiral.

Todo roseiral carrega em si os espinhos! Aonde estão os espinhos?

É preciso vê-los para não machucar a roseira. Para não os arrancar. Eles são parte, da rosa em florescimento, e a complementam, no contexto do jardim em criação. É um todo. É preciso enxergá-los para não machucar o jardineiro. O jardineiro sabendo que eles existem e onde estão saberá chegar ao delicado botão, rompendo o matagal de ervas daninhas, e aquecê-lo, protegê-lo das intempéries da vida. Então, o roseiral se transformará em um lindo campo repleto de verdadeiro brilho, de inteira beleza e “energia única e indivisível”, perfumando todo o campo. Seus espinhos? Continuarão completando toda a beleza audaciosa da rosa. A diferença? Agora são visíveis e não machucam, não causam dor, são caminhos para o encontro da luz que aquece e vivifica em plenitude.

Flores e espinhos são belezas que crescem juntas, não queira uma só, eles não sabem viver só…

Os espinhos são os rabiscos escondidos, omitidos, não desenhados, que delineiam a real imagem da Phoenix, refletida no quadro esplendoroso da vida e não apenas o contorno ainda inacabado das aparências, proporcionando ao Dragon bem mais que reconhecer intensamente, mas conhecer na inteireza e integridade da completude a verdadeira Phoenix.


“…Sempre que dois amantes se encontram, na verdade são quatro vozes que conversam. Os dois seres visíveis têm uma relação muito diferentes dos dois seres invisíveis. Eles podem estar discutindo violentamente no plano físico, mas suas almas estão em paz, e querendo se aproximar mais uma da outra…”. 14 de abril de 1922 (DM) – As cartas de amor do profeta – by Paulo Coelho

Só há um caminho possível para que as almas estejam em paz e se aproximem ainda mais, e quiçá, tornando-se uma: a verdade! a integridade!

Onde você não puder ser você mesmo, não se demore, pois é melhor simplesmente não ficar. Porque ser fiel a sua própria identidade, valores e dignidade requer ser forte no coração e corajoso nas decisões. No fim das contas, a vida já é muito complicada para que os outros apaguem nosso valor, nossa alegria, nossa autoestima. Não podemos nos permitir encaixar em espaços e dinâmicas que não combinam com a essência de nossas almas. As almas não conseguem se entrelaçar verdadeiramente, no redemoinho da paz, em uma tempestade de energias deletérias e não podemos permanecer onde as energias e as emoções negativas destroem a intimidade do momento de amar.

As mentiras não consolam, nem as meias verdades, menos ainda as inteiras aparências. É preferível a verdade, mesmo que doa. Mesmo que parta a alma, porque pelo menos seremos livres para tomar o caminho que desejarmos, em paz para realizar a escolha e curar as feridas com o tempo.

A mentira faz prisioneiros e nos condena a manter vidas vazias, falsas e carentes de autenticidade.

Sem dúvida, todos nós sofremos com os comportamentos e as atitudes daquelas pessoas que dizem que nos amam, mas que colocam um véu sobre nossos olhos, enquanto repetem que tudo está bem. Que não está acontecendo nada… Assim, a decepção ocasionada nem sempre vem pelo fato de que nos esconderam determinada realidade, o que nos decepciona é que, em determinado momento, pensaram que não “merecíamos” conhecer a realidade, a verdade, nos apresentando uma miragem . Quando somos íntegros na consciência da realidade, carregamos a verdade na alma, permanecendo límpidos diante dos olhares. Nos mostrando como somos e isso pode dar medo, mas é o única e verdadeira atitude que podemos, ou melhor, devemos ter quando escolhemos caminhar acompanhados.


Cláudio Cordeiro 🐉

Momento: Somos um Só!

“Houve uma época não muito distante em que eu não tinha certeza se voltaria para casa de novo. Observava a imensidão da noite, no infinito universo, pela janela dos sonhos. Mas aqui estou. Sempre pareceu o caminho mais óbvio. Nada é fácil. Devo dizer isso como um suspiro. Em algum lugar, a eras e eras daqui: Duas trilhas em um bosque divergiam, e eu…. Eu peguei a menos óbvia. E isso fez toda a diferença. ” – Dragon

“O Dragão representa “o espírito do caminho” que traz a mudança eterna. Assim como a Fênix, na verdade, que renasce eternamente de suas cinzas. Quando retratada com o dragão como um símbolo do imperador, a Fênix se torna inteiramente feminina como a Imperatriz e, juntos, eles representam os dois aspectos do poder imperial. O aspecto feminino (huang), denota beleza, delicadeza de sentimentos e paz. Ele também é um símbolo nupcial significando “comunhão inseparáveis.” Isso não é só para o casal, mas para o yin-yang que completa interdependência mútua no universo em termos de dualidade”.


Água e Fogo! Lua e Sol! Passado e presente! Mulher e homem… sobre e sob a vida. Um não existe sem o outro e precisamos nos lembrar disso. Precisamos saber o que já é nosso. Precisamos saber quem somos. É o que nos conecta… quando nos lembrarmos um do outro, nos reencontraremos. E assim, voltaremos ao início, em um lugar atemporal. Onde nós estávamos destinados a nos amar, a nos apaixonar no infinito esplendor das estrelas solitárias.

“A pequena cidade adentrava a noite ao som de inúmeras conversas e incontáveis encontros e desencontros… Dragon, sentindo a inquietude do momento, permanecia a observar cada movimento ao seu redor. Repentinamente, virando levemente seu corpo, e no tempo de um sorriso, olha na vasta imensidão, as estrelas solitárias, no universo de uma pequena praça, e senti o perfume vibrante de um olhar radiante cruzar seu destino… Phoenix! Novamente a Phoenix!”

Em toda possibilidade de cada momento, sempre estaremos juntos. O tempo é o infinito do momento. Uma única gota d’água retém o pulso do passado, um único momento retém o pulso de todos os tempos. O agora. O passado e o futuro. Quando entendermos o momento, entenderemos todo o tempo. O tempo e a jornada.

Tudo que se transforma por dentro pode ser visto por fora no florescer em perfume extasiante, em beleza estonteante, em sabor doce e suave, em luz a clarear o caminho na noite escura da ilusão. Não nos esqueçamos de que a vida é o maior presente que já ganhamos. Ela tem infinitas incógnitas. Só tem uma coisa que nós podemos fazer a respeito. Nos rendermos. Sim, nós precisamos nos render.

Nós precisamos nos render. Dragon precisa se render! Phoenix precisa se render! Se render a vida e nós precisamos viver. Viver a vida, e sermos surpreendidos, no universo de uma pequena praça, sentindo o perfume vibrante de um olhar radiante cruzando nosso destino em uma “conexão harmoniosa e gratificante” de felicidade e paz.

As pessoas se conectam através do amor ou do medo. Nós, optamos por nos conectarmos através do amor, não do medo. O medo aportou, e assombra as nossas mentes, na estrada dos passos descompassados pela via láctea dos desejos e sentimentos. Na insegurança de momentos desesperançosos, distante dos sonhos, das crenças e valores morais que norteiam nossas almas, sem acreditar na compreensão mágica do amor, conduzidos por ilusões do prazer, omissões desnecessárias contidas em verdades visíveis, o medo fez morada com seus infindáveis fantasmas, na escuridão da floresta que adentramos. Faz-se mister o reencontro na conectividade do amor infinito. Nos conectarmos através do amor, pelo amor e assim permitir o Universo nos guiar pelos caminhos do encontro e reencontro de nós mesmo.

O universo vai abrir os braços e nos guiará no trajeto do reencontro pela compaixão e perdão. Não apenas na alegria, felicidade ou prazer. Também na escuridão, tristeza e perigo. Não fujamos. Não tenhamos medo. Rir e chorar fazem bem. Aproveitemos a oportunidade do aprendizado. É a única maneira de compreendermos a plenitude de cada momento. E só então poderemos viver uma vida plena.

Viver a vida em plenitude! O que estamos vivendo tem uma resposta profunda dentro de nosso ser, e se nos afastássemos por um momento de todas os interesses, apegos, desejos associados com o mundo externo, perceberíamos que há respostas sutis, sussurradas em nossos ouvidos internos, carregadas por nossos canais intuitivos e expressadas no mais silencioso momento de nossa alma, pela janela do olhar. Para isso é preciso entrar dentro de si, sentir o perfeito equilíbrio, e perceber… o universo infinito na natureza sem fronteiras de nosso mundo interior. Sempre em constante movimento. Vai aquém das palavras. É um mundo de visões. Sentimentos. É imaginação. A correnteza interior não pode ser posta dentro de caixas porque para de fluir.

O tempo caminha por labirintos no espaço da verdade, transformando, descortinando o véu da luz e da escuridão que existe em nós. O tempo invariavelmente transborda, em algum momento, nossos valores e crenças, possibilitando enxergarmos quem realmente somos. Então! Não precisamos ser, momentaneamente, outra pessoa. Apenas precisamos ter a coragem de descobrir, a audácia de enfrentar e a integridade de sermos quem somos. Assim, estaremos abrindo as asas para a vida plena. Quando fazemos isso, nossa alma aparece refletida, ainda que ofuscada pela nevoa das imperfeições, límpida e transparente no universo de conexões integras e harmoniosas.

Observar de dentro para fora…. Ouvir a voz da alma… Vislumbrar além da fronteira egoica de nossos desejos… e ter um forte compasso interior. Enxergar o interior… saber quem somos… conhecer-nos inteiramente. Conhecer-nos profundamente, na intensidade suficiente de nos colocarmos na situação do outro, e assim, conseguirmos tirar o melhor de nós. É assim que nos tornamos um, conosco, com o outro e com o mundo. Com o Universo e todo o resto.

Simples assim… Somos um… Somos um só!

Contanto é fundamental não parar de perguntar. Nunca se cansar de fazer essa pergunta pelo resto da vida.

Quem sou eu? Quem é você?


Cláudio Cordeiro 🐉

Reflexão: Saber Escolher!

“O Mundo espera que o Ser Humano seja íntegro e solidário…  Assim, é necessário que nossa participação no Mundo seja digna, respeitadora, inspirada por valores morais e éticos. Se é um fato inegável que todos somos responsáveis pela construção de uma sociedade mais fraterna, é também um privilégio sabermos que podemos deixar no Mundo, a nossa marca pessoal. Por isso, usemos a mente para construir o bem, os braços para trabalhar e o coração para amar.” – Manuel Cepeda

Depois de algum tempo aprendemos e começamos a selecionar melhor as pessoas com as quais nos relacionamos. Seja no ambiente de trabalho, nas amizades e, principalmente, na vida amorosa. Começamos em fim a compreender que ser seletivo nas escolhas nos priva de maiores decepções. Saber escolher, ou melhor, escolher bem requer percepção e sabedoria para poupar tempo e desgaste com pessoas que sugam nossa energia.

Cabe a nós o poder do discernimento. Cabe a nós o poder da escolha. Qual escolha? A escolha de permanecer ao lado de pessoas que nos reponham com alegria a energia e não ao lado dos sugadores, verdadeiros vampiros escondidos na ilusão que criaram para si mesmos.

Com o tempo, e põe tempo nisso, vamos aprendendo que para construir relações saudáveis e duradouras é preciso estarmos alinhados com pessoas que possuem objetivos e metas parecidos com os nossos, que nos desejam o bem, que nos alimentam a auto-estima, bem-humoradas, inteligentes e interessantes.

Mas, como saber de imediato se estamos nos relacionamos com as pessoas certas?

Simples assim, basta observamos com acuidade o que sentimos diante das pessoas.

Se elas estão nos fazendo sentir verdadeiramente bem;

Se a felicidade é parceira na estrada da vida e a tristeza momento oportuno de solidificar a amizade e a compreensão;

Se nos sentimos a vontade e conseguimos ser nós mesmos diante delas;

Se a integridade das palavras brilham no olhar das atitudes;

Se o compartilhar é intenso na confiança;

Se somos leve e caminhamos como plumas ao sabor da brisa nos momentos de tempestade;

Se nossa alma sente o perfume do companheirismo;

Se respeitamos as diferenças na construção de uma vida plena.

Relações saudáveis possuem o poder de transformar, de melhorar cada pedacinho de nosso ser. São extremamente construtivas, benéficas e nos preenche com a paz e fortalece no amor. Nos proporciona a oportunidade de doar, mas também de receber com respeito. Dignificam a alma a cada amanhecer, proporcionando o movimentar de energia salutar e edificante.

Nas relações saudáveis as alegrias, as dores, os momentos, os sonhos, as verdades, os conhecimentos são compartilhados. Nos enxergamos como seres completos que somos, não há necessidade de utilização de mascaras. Somos quem somos.

E na simplicidade de sermos mais seletivos em nossas escolhas construímos também a autenticidade do que realmente somos.

Enfim, já dizia o ditado: “Diga com quem andas e te direi quem és.”


Cláudio Cordeiro 🐉

E Você tem sido seletivo em suas escolhas?

Reflexão: Navegando pela vida 

  “Ser Espiritual, o homem é um incessante despertar.” – Joanna de Ângelis

O Amor é o poder criador mais vigoroso de que se tem notícia no mundo. Seu vigor é responsável pelas obras grandiosas da humanidade.

Na raiz das realizações dignificadoras, ele se encontra presente, delineando os projetos e impulsionando os idealistas à sua execução.

Alenta o indivíduo, impulsionando-o para o progresso e faz-se refúgio para a vitória sobre as dificuldades

No amadurecimento psicológico do ser, eis o amor direcionando todos os ideais e sustentando, em todos os embates aquele que lhe permite desabrochar, qual lótus esplendente sobre as águas turvas e paradas do charco no qual pousa o triunfo…


É preciso adaptarmos nosso pensamento a um ensinamento simples da vida: tudo que chega é bom, tudo que parte também. 

É o rio da vida… navegue-o da forma como ele se apresentar, sem apego ou resistência.

As dificuldades, as provas, os momentos de dores e sofrimentos são despertadores da vida, têm a missão de nos acordar. Se assim não fosse permaneceríamos seduzidos com os encantos do mundo material, esquecidos do que realmente viemos fazer neste planeta – transformá-lo – ao transformar a nós mesmos.

O Universo nos possibilitou estar aqui para coisas mais importantes que apenas passear pelo devaneio do prazer, trilhar no delírio do sucesso, caminhar nas ilusões do poder, percorrer a estrada infinita do engano, ir e vir no universo soberbo de nossos desejos, ou seja, apenas passar pela vida.

Estamos aqui para realizar “sonhos”, construir “pontes”, transformar “mundos”, compartilhar “possibilidades”, idealizar “conquistas”, inspirar “transformações”, amar “vidas”, … Enfim, num aparente paradoxo que faz muito sentido, como diria meu amigo “Mouses”, estamos aqui para ser finos, leves e explodirmos de amor à vida.

Toda inércia é um desrespeito a si mesmo, é preciso estar em movimento. Mova-se! Realize! Construa! Transforme! Compartilhe! Idealize! Inspire! Ame e ame infinitamente. Há um mundo (meu mundo, seu mundo, nosso mundo) a ser transformado, nosso papel é contribuir para deixá-lo melhor do que encontramos. Recursos! Estão todos dentro de nós. Ninguém “oferta” o que não tem! Ninguém “caminha” sozinho! Todos colhemos… conforme “as escolhas” que plantamos no canteiro da vida. É preciso acreditar e se esforçar para cumprir a missão que nos foi confiada pelo Universo.

Embora as correntezas percorridas sejam diferentes, todos nós estamos navegando em direção ao mesmo porto, um porto seguro.

E cada barco tem como norte (bussola) as conquistas, as derrotas, os aprendizados, os erros, os acertos, as imperfeiçoes, as virtudes, …

E cada barco tem como tripulação os sentimentos de alegria e tristeza, paz e inquietude, harmonia e desarmonia, felicidade e infelicidade, amor e indiferença, …

E assim, percebemos que, na verdade, ninguém atrapalha a navegação de ninguém, podem até estreitar o rio ou fazer crescer a resistência da correnteza, mas não podem quebrar a embarcação. Isso só acontece quando permitimos, pois “Somos o capitão da embarcação e sempre caberá a nós conduzi-la…”

No final todos estão apenas tentando chegar ao porto, ancorar seu barco – melhorar (novas conquistas morais e espirituais) a tripulação – e continuar navegando em busca de si mesmo.

Quando saímos de onde estamos, e navegamos até o outro e pareamos os barcos, e utilizamos as cordas do respeito, da confiança, da lealdade, da integridade para amarrá-los na liberdade de navegarem juntos o rio da vida, o fantástico, o maravilhoso, a grande mágica da vida se realiza em nosso íntimo:

A compreensão expande a mente que sintoniza com o coração, o pesado se torna leve, a gratidão se curva perante o outro, a gentileza envolve e conduz as palavras, a generosidade se aconchega no coração harmonizando-o com a mente. E nesse instante descobrimos na profundidade de um olhar, no encanto de um sorriso, na essência de uma alma o grande propósito da existência – a prática sublime e incondicional do AMOR que transforma e liberta. E nesse momento entendemos que somos barcos (energia) em movimento, a harmonia perfeita do universo, embora tudo seja uma ilusão – nos diz a Física Quântica – estamos interligados – 🐉 + 🔥 = ☯ – por fios invisíveis (traçados pela caneta universal do amor) que diminui distâncias (aproximando as almas) conectando-as no universo mágico da vida em movimento.

Assim:

Compreendemos que nossos sentimentos, pensamentos, sejam eles quais forem, estarão sempre influenciando, contaminando – positivamente ou negativamente – alguém em algum lugar dessa escola chamada Terra.


Cláudio Cordeiro 🐉

Venha! Navegue na maturidade das atitudes no rio chamado vida.