Poema: Desejo sob a Chuva

Que saibamos ser “o jardineiro” do admirável jardim chamado coração, “o adubo” da sensível terra chamada emoção, “o orvalho” suave a umedecer o maravilhoso jardim chamado relacionamento e “a seiva” pujante que percorre as veias da inusitada paisagem do amor. – Dragon 🐉

jenna_michel_campanha_glee_ensaio2 (2)

O beijo é o único gesto que não admite teoria…   (Samuel Ross)

Beijo-te assim...
Sem teoria num ardente desejo,
Caminho a ti sorridente,
Na intensidade da chuva,
Caminho em ti suavemente,
Dos lábios aos pés sem curva,
Conduzo seu corpo ao prazer,
Sua alma ao delírio,
Sorvendo, dos deuses, o néctar,
Ao beijar você.

Amo-te assim...
Apaixonado, 
Inteiramente louco,
Pela forma encoberta,
Senti seus lábios tremer,
Inteira vibração,
Sentir essa paixão,
Intenso desejo,
Ao amar você.

Sinto-te assim...
Camiseta branca colada, 
Molhada, suada,
Definindo seu corpo,
Exibindo a harmonia, 
As curvas delineadas,
Perfeitamente encaixada,
No vestido entreaberto,
Sentido a brisa molhada,
No mágico momento,
Ao Sentir Você.

Somos assim...
Almas calientes, 
Corpos ardentes,
A chuva nos beija envolvente,
E no piscar do olhar,
Nos deixamos levar,
Para um mundo, onde só nós,
Aprendizes na arte do amar,
Sabemos vivenciar,
Mãos falando suas próprias línguas,
Línguas expressando suas íntimas intenções,
Intenções com sentimentos que escutam,
Sons de versos em beijos molhados,
Corpos calientes, 
Almas ardentes.

Cláudio Cordeiro 🐉

Você é o Beijo de toda transformação!

Sensual: Vinho, Apenas um Detalhe

“São os pequenos detalhes que fazem a diferença e dão sentido à vida… é o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa, mas intensa, inteira, verdadeira, pura… enquanto durar.” – Dragon

B7aj2aQCYAAPlmO

Naquela noite, no adentrar do delicioso jantar a dois, a suavidade, na sensualidade do momento, invadiu o ambiente. A serenidade do olhar, a delicadeza dos movimentos, a graciosidade do sorriso e o silêncio das palavras entorpeceu a alma na magia do amor. E na intensidade dos beijos e toques, a inteireza da presença entrelaçou os corpos no bailar do desejo, do prazer.

Phoenix extasiada 
No desejo de amar
Dragon inspirado
No prazer de amar
Uma bela e trabalhada botelha buscou 
No cálice, tinto e suave, derramou 

A mágica do tempo iluminou
Da mesa ao sofá, foi transportado 
Em Beijos e abraços sem fim
Na volúpia do pensamento
Em sons e imagens até o fim

O envolvimento exótico
Em brasa a arder
No deleite de movimento erótico

De corpos a sublimar
O Infinito desejo do prazer
Pelo amor, na insensata satisfação
De almas em perfeita conjunção
Na arte de amar

E o néctar, do cálice, foi sorvido, 
No clímax do momento saboreado,
Embriagando o sentimento sentido,
Do sonho acordado e realizado.


Claudio Cordeiro 🐉

Você é o pequeno detalhe na magia da vida !

Momento: Onde Estará meu Dragon?

Phoenix …

Eu vou ser sua Phoenix e você será o meu Dragon!

Eu darei a você o meu coração e você me dará o seu. Vamos aprender um com o outro, crescer juntos, inspirar e respeitar um ao outro. Nós nos amaremos e as nossas diferenças completarão a nossa inteireza.

Cada um de nós terá um portal, onde definiremos nossos limites e nossas individualidades, mas quando nos encontrarmos, será como se cada um estivesse segurando a chave do portal do outro já por muito tempo… E apesar de termos a chave do portal do outro, pediremos permissão para entrar, e nos curvaremos com respeito e cuidado, usando a bondade e o afeto quando formos convidados a adentrar a alma.

E assim, a minha chave abrirá o seu coração, e sua chave abrirá o meu por toda a eternidade. Porque a Phoenix não morre e o Dragon vive para sempre! Seremos uma família feliz e eu estarei por toda a vida com o meu Dragon.

Foi com ele que eu escolhi passar o resto da minha vida.

A vida é muito curta para se morrer em vida. Todos nascemos para ser felizes! Às vezes me pergunto…

Onde estará o meu Dragon?

Dragon …

Passeando com a Phoenix

Pelos caminhos da vida

Sendo poeta dos versos,

Mais belos e encantadores,

Escritos na página do coração.


Declamando uma poesia

De amor e sedução,

Sentindo o sabor inebriante

Do amar em teus braços;


Recebendo calor

Do teu abraço intenso,

Solvendo mel do prazer

Em teus lábios;


Sentindo suas vértebras,

Ao deslizar dos meus dedos

Sob tua pele,

Ouvindo os gemidos

De tua alma;


Deliciando com o tocar

De meus lábios

Sobre teu corpo

Sedento de prazer,

Percebendo o mordiscar dos lábios;


Escutando o som da água

Se derramando

Sobre teus seios,

Pingando com paixão

Ao sabor do teu desejo;


Explodindo em êxtase,

Ao esparramar sobre a cama,

Nus e selvagens.

Dançando ao sabor gostoso

Da música soprada

Pela brisa que adentra

A janela do coração.


Passeando com a Phoenix

Pelos caminhos da vida  

Sendo artista do amor

Na arte de encantar

E … amar.


Cláudio Cordeiro 🐉 & Cris Repolês 🔥

Amar Você é a melhor parte desse Poema!

Momento: A distância do Momento!

“O amor é o espaço e o tempo medidos pelo coração.” – Marcel Proust

A arte de amar nem sempre é simples… às vezes falta colorido, sobra distância, os traços são fortes ou fracos demais, o pincel se desgasta e em outros momentos a tela parece grande e infinita dando a sensação de que nunca se tornará um belo e encantador quadro. 


Não há como medir 
A distância do momento.
Tão longe ficamos… e,
Não chegamos! 
Nem fomos!
Há um lugar comum
Um vazio… restou
Uma saudade ficou.

Quero ouvir 
Tuas histórias 
Ainda não contadas
Então! Demoras
Um pouco mais…

Ocupa meu olhar 
Com a tua imagem 
Meu desejo
Com tua sensualidade
Minha boca
Com teu beijo.

Acabam-se as tintas, 
Desbotam as cores
Da poesia a ser escrita
No livro da vida.

Não adie o que
O tempo roubou
O medo enterrou. 

Seja meu verso perfeito 
No risco do meu poema
Seja flor temporã
No outono que perdura. 
Seja manhã clara 
Entardecer na varanda
Seja o amor guardado 
Pela eternidade de uma vida
Pelo tempo infinito de um beijo…

Então fica! Então fico! 
Simples assim!


No entanto quando a tinta usada é a tinta “invisível do amor”… todas as distâncias, incertezas e tristezas, se diluem no espaço de uma pincelada, e surpreendentemente, surge acabada e radiante a obra mais bela pintada pelo amor e pela esperança.


Cláudio Cordeiro 🐉

Seja a Presença no Momento da Distância!

Reflexão: Aprendendo a Amar

“Passamos a amar não quando encontramos a pessoa perfeita, mas quando aprendemos a ver de maneira perfeita uma pessoa imperfeita.” – Sam Keen

Dragon refletia sobre a necessidade de nos amarmos… e assim amarmos quem queremos amar.

Quando iniciamos um relacionamento, seja qual for, junto com o amor também entregamos uma pequena lista de sentimentos: medos, frustrações, insegurança, arrogância, carências, angústias, mágoas e muitas dores emocionais. E assim fazemos, porque não providenciamos antes a construção do amor em nós. Esquecemos que primeiramente temos de amar a nós mesmos.

A maneira como nos tratamos é também a forma como vamos tratar as pessoas que amamos. Se a relação com nós mesmo não está bem, como poderemos construir uma relação saudável com outra pessoa? Inevitavelmente esse desajuste no campo pessoal afetará de forma variada e prejudicial a relação com os outros. E o mais interessante é que nem sempre temos consciência dessa falta de auto amor, e por isso passamos a responsabilizar a pessoa que amamos (amigo, namorada, esposa, filho…) pelas situações e fatos ruins que sentimos. Conforme nos diz André Luiz:

“A forma como nos tratamos cria um campo vibracional, energético entre nós e o objeto amado.”

Se nós não nos preocupamos em realizar os nossos desejos, em fazer aquilo que entendemos ser o melhor para nós, não sendo fiel com o nosso querer e com nossas necessidades, com certeza essa atitude poderá trazer desengano e decepção para os nossos relacionamentos afetivos. Precisamos prestar mais atenção às nossas necessidades, tratando com mais leveza e docilidade os nossos desejos mais íntimos. É preciso respeitar os nossos sentimentos para sermos respeitados pelas pessoas e pela vida.

Se vivemos o trágico medo da rejeição, a relação é visitada constantemente pela incontrolável necessidade de agradarmos o outro, no intuito de não perdermos o carinho, o amor.

Se guardamos frustrações e magoas, no decorrer da vida, surge ferrenha e poderosa a cobrança e a rigidez para com a pessoa amada, na tentativa de que ela não trilhe os mesmos caminhos que nos foi motivo de desajustes e dores.

Se não compreendemos a solidão e a carência que trazemos no interior de nossa alma, não compreenderemos a ausência do outro. Assim, a tendência é exigirmos que o outro nos conforte o ego em demasia (mimos) e expresse o reconhecimento constantemente.

Se nós nos encontramos doentes com conosco mesmo, o que acontecerá com nossas relações de amor? O mesmo!  Ela refletirá a nossa doença, dor, magoa e imperfeições.

Se dizemos que amamos alguém, sem antes ter a consciência de que nos amamos, o amor que vamos ofertar acabará sufocado, enjaulado em nossas limitações e desencantos emocionais.

Se nós não conseguimos ter atitudes que diluam nossos problemas, dificuldades, estaremos correndo o risco de colocar a nossa felicidade no bolso do outro. Ninguém é responsável por nos fazer feliz. A nossa felicidade está em nós. Só nós temos esse poder.

Jamais deixe de amar… Continue amando… O amor é a construção do infinito desencadear das relações duradouras. Ame! Mas ame da maneira que você dá conta. Ame! Mas ame com intensidade e verdade. Ame! Mas ame com a delicadeza e perfume da mais simples flor.

Ame! Mas antes de tudo… Conheça-te!


“Simples assim! Ame a si mesmo e aprenda, aprendendo a amar. Fazendo assim, construímos dias plenos de felicidade para nossa vida e na vida de quem amamos.” – Dragon

Cláudio Cordeiro 🐉

Reflexão: Escolha Amar

Dragon caminhava pelo universo dos pensamentos, após assistir a uma peça teatral, e dialogava consigo mesmo sobre a oportunidade que os momentos nos ensejam a amar.

A peça de teatro intitulada "Raisin in the sun", de Lorraine Hansberry, traz um trecho realmente admirável, que convida o público a refletir sobre os valores que guardam suas almas.

Na peça, uma família afro-americana recebe uma grande quantia em dinheiro proveniente do seguro de vida do pai.

A mãe vê no dinheiro a oportunidade de abandonar a vida difícil que vivia no Harlem, e mudar-se para uma casa no campo, onde a qualidade de vida seria muito mais satisfatória.

A filha, uma moça muito inteligente, vê no dinheiro a sua maior oportunidade. Poderia estudar medicina e realizar assim seu sonho.

O filho mais velho, contudo, tem outros planos na aplicação do dinheiro. Ele apresenta um argumento difícil de ser ignorado. Ele propõe que o dinheiro seja utilizado para a dar início a um negócio em conjunto com um amigo.

Para convencer a família  ele alega que poderá trabalhar por conta própria e facilitar a vida de todos. Promete que, se puder lançar mão do dinheiro, proporcionará à família todos os confortos que a vida proporciona.

A mãe pensa e mesmo a contragosto resolve ceder aos apelos do filho. Ela entendeu ser uma boa oportunidade para o filho. Ela tem de admitir que as oportunidades nunca foram tão boas para ele, e que ele merece essa oportunidade que a vida está lhe oferecendo.

No entanto o tal “amigo” foge da cidade com o dinheiro. Desolado, o filho é forçado a voltar para casa e dizer à família que suas esperanças para o futuro lhe foram roubadas e que seus sonhos de uma vida melhor foram desfeitos.

A irmã atira-lhe no rosto toda sorte de insultos. Qualifica-o com as palavras mais grosseiras que se possa imaginar. Seu desprezo em relação ao irmão não tem limites.

Quando ela para um pouco para respirar, a mãe a interrompe e diz: “pensei que tivesse ensinado você a amar.”

A filha então responde: “amar? Não restou nada nele para eu amar.”

E a mãe diz: “sempre sobra alguma coisa para amar. E, se você não aprendeu isso, não aprendeu nada. Você chorou por ele hoje?”

Não estou perguntando se você chorou por causa de si mesma e de nossa família, por termos perdido todo aquele dinheiro. Estou perguntando se chorou por ele: por aquilo que ele sofreu e pelas consequências que terá de enfrentar.

Filha, quando você acha que é tempo de amar alguém com mais intensidade? No momento em que faz coisas boas e facilita a vida de todos?

Bem, então você ainda não aprendeu nada, porque esse não é o verdadeiro momento para amar. Devemos amar quando a pessoa está se sentindo humilhada e não consegue acreditar em si mesma, porque o mundo a castigou demais.

Se julgar alguém, faça-o da forma certa, filha, da forma certa. Tenha a certeza de que você levou em conta os revezes que ele sofreu antes de chegar ao ponto em que está agora. È preciso calçar a sandália alheia… e sentir sua textura.

Essa é a graça misericordiosa! É o amor ofertado quando não se fez nada para merecê-lo. É o perdão concedido quando não se tem forças para pedi-lo ou não se fez nada para conquista-lo. É a dádiva que flui como as águas refrescantes de um riacho para extinguir as labaredas que queimam na alma.

O amor que o pai nos oferece é muito mais abundante e generoso. A misericórdia de Deus é muito mais grandiosa e sábia.

Baseado no capítulo “Sempre resta alguma coisa para amar”, da obra “Histórias para o coração” – organizado por Alice Gray


O amor julga, promove desunião, agride, revida…? Não. O amor verdadeiro perdoa, acolhe, transforma.

Analise… analisar é uma postura que reflete maturidade. E quando usamos do discernimento na análise estamos sendo maduros emocionalmente.

Alie o discernimento (razão) ao sentimento (coração) e reflita na condição que está impondo ao outro. Sinta suas atitudes, perceba a dureza de suas palavras. Pergunte a si mesmo se gostaria de estar calçando esta sandália.

Por mais que as pessoas, na própria imaturidade, arraigadas as imperfeições – egoísmo, orgulho, vaidade, inveja… – tragam-nos mágoa, dor, sofrimento, desapontamento ou desilusão, lembremos de que sempre resta alguma coisa para amar.

Então! Seja quem perdoa, acolhe e transforma.


Cláudio Cordeiro 🐉

Reflita! Lembre-se! “Sempre Sobra Alguma Coisa Para Amar”

Momento: Inconfesso Desejo

"Queria ter coragem Para falar deste segredo Queria poder declarar ao mundo Este amor Não me falta vontade Não me falta desejo Você é minha vontade Meu maior desejo Queria poder gritar Esta loucura saudável Que é estar em teus braços Perdido pelos teus beijos Sentindo-me louco de desejo Queria recitar versos Cantar aos quatros ventos As palavras que brotam Você é a inspiração Minha motivação Queria falar dos sonhos Dizer os meus secretos desejos Que é largar tudo Para viver com você Este inconfesso desejo"

Carlos Drummond de Andrade


Recostado sob frondosa árvore, Dragon admira o esplendor do entardecer. Acabara de ler memorável poema do poeta mineiro – Carlos Drummond. Seus pensamentos invadem o ambiente redor, perfumando a natureza com o inconfesso desejo.

Assim como o poeta mineiro também tenho… um inconfesso desejo de revelar o AMOR…

Que sinto e decodifica minha alma expondo todas as mais secretas intenções de amar

Que vivo e inibe todos os medos de amar

Que rompeu com as barreiras do convencional, me permitindo adentrar novamente no campo da imaginação, dos sonhos de amar

Que é a mais bela energia criadora e propulsora do infinito desejo de amar

Que motivou a força interior na busca da chave que rompeu a resistência de amar

Que arrebentou as grades de uma vida sem sabor, possibilitando a liberdade de amar

Que coloriu meu mundo com cores vivas na arte transformadora de amar

Que iluminou a estrada do futuro com a luz da felicidade de amar

Que é vigoroso alicerce sustentador da construção que abriga a opulência de amar

E sua maravilhosa inspiração que alimenta meus sonhos, a cada noite, na certeza de ter encontrado o verdadeiro caminho que conduz aos detalhes da simplicidade de amar.

Nada mais inconfessável do que o desejo de desejar o inconfesso desejo…

de confessar a loucura dos secretos pensamentos de amar

de gritar a insensatez dos indefinidos modos de amar

de falar a linguagem capaz de definir os encantos de amar

de cantar a construção das notas verdadeiras e plenas do sentido de amar

de escutar o som do coração que me conduz ao delicioso prazer de amar

de olhar a felicidade que explode além das fronteiras de amar

de caminhar sendo o que sou, sendo livre e tendo a liberdade de amar

de viver no pensamento e ser amado na plenitude do sentimento de amar

E hoje…

Confesso meu inconfessável desejo de descobrir quando é agora o melhor momento para amar Amar a encantadora Phoenix.

… AGORA É O MELHOR MOMENTO DE SEMPRE AMAR… PHOENIX.


Cláudio Cordeiro 🐉

E você já descobriu AGORA quando é o melhor momento para AMAR?

Momento: Corpo e Alma

“Explicar o que sentimos por uma pessoa especial e por quem nos apaixonamos sob os termos estritos da química do amor é subtrair a magia do assunto. ” – Albert Einstein

Phoenix!

Eu me perco na picante sensualidade de seu corpo,

E me encontro na doce suavidade de sua alma.


Indescritível! Exuberante!
A Sensação que desperta em meu corpo, minha alma

Ao despir seu corpo suavemente
Amando-o intensamente.

Ao sensualmente cativar sua alma
Contemplando-a inteiramente.


Me encanta! Me seduz!
O exato momento 
Que nossos pensamentos se tornam um.

No proceder irreverente do seu corpo
Que fica a me provocar
Solicitando carícias e afagos.

No olhar despretensioso de sua alma
Que permanece a me convidar
Desejosa de carinho e amor.

Phoenix!

Eu me perco nas tortuosas e prazerosas curvas de seu corpo,

E me encontro na saborosa ingenuidade de sua alma.


Indescritível! Exuberante!
A Sensação que desperta em meu corpo, minha alma

Ao tatear seu corpo delicadamente,
Com beijos e suspiros
Enlaçando seus lábios
Em minha Alma

Ao navegar sua alma calmamente,
Com olhares e sorrisos
Conduzindo seus desejos
Em meu corpo.


Me encanta! Me seduz!
O exato momento 
Que nossos corpos se tornam um

No balanço frenético e 
Descompassado do seu corpo
Conduzindo meu corpo
Ao mar do prazer

No perfume intenso e 
Sedutor de sua alma
Encaminhando minha alma 
Ao jardim do coração.

Onde a sensação de prazer e amor se acumpliciam


Eu me perco…

Eu me encontro…

No encantador reencontro de nossos corpos,

No inebriante reencontro de nossas almas,

Na liberdade de amar de corpo e alma – a Phoenix.


Cláudio Cordeiro 🐉

E Você já se Encontrou na Liberdade de Amar de Corpo e Alma.

Momento: O Som da Phoenix

“A música precisa de um vazio chamado silêncio para ser ouvida. Um poema precisa do vazio da folha de papel em branco para ser escrito. É no vazio da jarra que se colocam flores.”

Rubem Alves

… e nós encontramos no vazio de um silencioso momento almejado o caminho perdido de nós mesmo.

Dragon 🐉

Em sua cova iluminada apenas pelo brilho do olhar, Dragon, sintonizava os pensamentos com a bela Phoenix. A distância! Que importa! Juntos e conectados estavam.

Deitado na maciez da aconchegante pedra marrom, as palavras sorviam facilmente por temas diversos. Falavam de tudo e tudo sentiam. Vivenciando cada pequeno sentimento e momento apresentado. Trabalho, sonhos, vida e desejos… alegremente pulavam de um a outro assunto.

E na intensidade do instante a respiração se torna ofegante, os batidos do coração estão sintonizados numa hipnose fantástica de volúpia. Dragon enlaça os pensamentos mais secretos da Phoenix, e no suspiro de um segundo adentra o ninho repleto de desejo, para enamorarem noite adentro. A sensualidade das palavras e o arder do sentimento reduzia o agora – o espaço e o tempo – na doce noite de prazer.

Sutilmente, Dragon conduz a inebriante Phoenix por caminho construído com as cores do arco-íris, iluminado por vagalumes perfumados de felicidade, até pequeno Parque, de frondosas árvores, belo e majestoso lago rodeado de flores lindíssimas e incontáveis sons, onde a natureza produziu majestosa clareira repleta de grama macia e flores do campo.

No esplendor desse cenário o prazer sem fim apoderou-se dos amantes em inconfessos desejos. E a noite se fez escura acompanhada de intensos clarões dos relâmpagos e estrondos dos trovões. Ali em meio a relva verdejante, sob a bolha do amor, os inocentes e distraídos amantes, estavam protegidos em cada movimento de sensualidade e devaneio.

O prazer foi sentido no toque de amar. O toque sentido na pele, no balanço frenético dos corpos e percebido no perfume exalado no instante mágico do êxtase. A volúpia do desejo se fez permanente em cada movimento, em busca da insustentável leveza do amor, numa explosão de sons que cantavam o infinito clímax em regalo (isso mesmo… indescritível sensação descrita. Tente sentir).

Em suas asas esplendorosas, Dragon segue com a Phoenix. Adormecida e extenuada, deita-a suavemente em seu ninho acolchoado e avermelhado.

Dragon fecha os olhos – navega no espaço e tempo – da Cova fica a observar…

O Ninho é invadido pelo vento que sopra forte a assobiar – uma cantiga doce e prazerosa – trazendo a suave chuva como orvalho a gotejar. A Phoenix inundada pelo suspirar faz do Ninho a bela pira a se queimar… enfim, Phoenix, renasceu do fogo ardente – da pira de palmeiras – em meio a notas musicadas de infinita beleza lançando o estonteante “Som do Coração”. O mais suave e doce ruído a ecoar do Ninho para a Cova…

Rápido, ligeiro…

Leve, meigo…

Encantador, surpreendente…

Escorregou baixinho, com tom de medo, pela gretinha aberta – no escorrer do orvalho no momento de prazer sobre a relva – do coração. Ecoando forte pela natureza – promovendo indescritível sensação de amor – foi conduzido pelo relâmpago iluminando o infinito momento de ser sempre agora escutado na percepção do Universo.

O Som do Coração foi assim…. A canção do amor que chegou 🐉💙🔥


“Eu não sei, não sei dizer
Mas de repente essa alegria em mim
Alegria de viver
Que alegria de viver
E de ver tanta luz, tanto azul!
Quem jamais poderia supor
Que de um mundo que era tão triste e sem cor 
Brotaria essa flor inocente
Chegaria esse amor de repente
E o que era somente um vazio sem fim
Se encheria de cores assim
Coração, põe-te a cantar
Canta o poema da primavera em flor
É o amor, o amor chegou 
Chegou enfim"

Vinicius de Moraes

Cláudio Cordeiro

Você é a canção de toda transformação!

Momento: Phoenix! Parabéns!


“Nunca é tarde demais para ser aquilo que sempre se desejou ser.”

George Eliot

Perdido em seus pensamentos, Dragon, observa da janela de sua imensa caverna, o Universo infinito e singular, com os intermináveis caminhos de luzes e cores, iluminando cada momento da caminhada na estrada do tempo… e no tempo de um sorriso, olha mais uma vez a imensidão solitária do universo, inalando o perfume inebriante do amor, trazido pelos pensamentos, molhando os olhos com a doce lágrima da saudade.

Hoje! Aportava no Universo a mais bela e estonteante presença da vida. Phoenix! Deslumbrante Phoenix!

Tempo! Tempo! Tempo!

Que anda ligeiro, na imensidão do espaço, deixando ao longo do caminho os momentos, as lembranças.
Que anda ligeiro, na estrada da natureza, enlaçando cada ser na primavera do próprio tempo.
Que anda ligeiro, na escola do sentimento, amadurecendo a convivência, diminuindo divergências, oportunizando momentos de intenso sabor, criando espaço para a paixão, na universidade do amor.
Que anda ligeiro, no palco do amor, trazendo a experiência, o encantar, o apaixonar, na beleza incontida da alma, refletida no corpo em movimento, sob o desejo descontraído.
Que anda ligeiro, na trilha da saudade, relembrando cada instante, na suavidade dos lábios, no calor do abraço, na graciosidade do sorriso, sintonizados na energia do pensamento.
Que anda ligeiro, no ciclo da vida, proporcionando no sopro da existência, a intensidade da gratidão, pelas histórias e conquistas, sabores e diversão, prazer e êxtase.
Que anda ligeiro, transformando os momentos da vida, proporcionando o transbordar da felicidade por tê-la encontrado no teatro desafiador da vida, tão bela quanto encantada permanece, comemorando mais um renascer na vida, tão singela sorrindo.

Phoenix! Hoje! O tempo que anda ligeiro, convida-nos a comemorarmos o teu despertar em mais um ciclo, na caminhada pela infinita estrada da vida e agradecermos a oportunidade de realizar a travessia dos infindáveis caminhos do aprendizado.

Mais uma primavera, no amanhecer da “cidade dos sonhos”, iluminará o jardim secreto da Phoenix. E no anoitecer deste dia especial, minha alma se libertará suavemente do corpo, percorrendo o espaço ligeiro no tempo, invadindo o jardim secreto, levado pela brisa doce do amor, e carinhosamente abraçando a Phoenix, cantarei em teus ouvidos, a melodia mágica da arte de amar.

“She’ll look at you and smile
And her eyes will say
She’s got a secret garden…” Parabéns! Felicidades! 🐉💙🔥


Cláudio Cordeiro