Momento: Inconfesso da Saudade

“Deixe demorar dentro da alma apenas o inconfesso desejo que alimenta a volúpia em amar seu amor.” – Dragon 🐉

Na simplicidade da Caverna, no íntimo de seus aposentos – Dragon – ainda sonolento, esparramado pela imensa cama vazia, vagueia pelo mundo dos pensamentos, na tentativa de identificar os sentimentos aflorados em seus sonhos. Observa as árvores trêmulas, pelo vento a esvoaçar as folhas, sentindo a claridade despontando no amanhecer do domingo. Saboreando intensamente o céu azul e límpido, seus desejos alçam voo, na imensidão do espaço, conduzindo sua imaginação pelos caminhos da saudade de um amor distante.

Na leveza de um movimento seu olhar percorre todo o ambiente a procura da doce presença sentida. Em vão. No ambiente apenas a solidão do sonho em pensamento. Na beleza do pensamento sentido, repleto de emoção, o desejo se faz saudade, molhado pelo orvalho das lágrimas que escorrem abundante pelo peito cheio de tristeza.

Dragon fica a conversar com seus pensamentos, tentando compreender esse sentimento que o sufoca e revive. “A sensação que invade a alma, adentrando meu ser é indescritível, não faz sentido… sinto medo e desejo, alegria e tristeza, percebo a felicidade tão perto e distante ao mesmo momento.”

E no afogar dos sentimentos incompreendidos, Dragon brada com o olhar fixo no horizonte, a dor e o desejo daquele momento:

Onde estará tão doce e meiga presença?


Hoje acordei!
Com vontade
De dizer
De olhar
De abraçar
De escutar
De tocar
De sentir
Com desejo... de sua presença.

Com desejo 
De te dizer
E ai! Que tal um “café”
E ai! Hora do “almoço”
E ai! Tem “janta” antes de dormir
Refeição completa...
E no final, apenas te olhar!

Com vontade 
De te olhar
Sentada na varanda
Vendo o entardecer 
Na cidade dos sonhos.
Sentada no sofá
Assistindo um filme.
Sentada na cama
Conversando sobre tudo e nada.
Sentada no carro
Dizendo... apenas olhando...
E no final, apenas te abraçar!

Com desejo 
De te abraçar
Intensamente ao amanhecer
Inteiramente ao entardecer
Imensamente ao anoitecer
E no final, apenas te escutar!

Com vontade 
De te escutar
Contar histórias
Reclamar, desabafar, sorrir
Falar, vamos estudar
E no final, apenas te tocar!

Com desejo 
De te tocar
No amanhecer
No tomar banho
No sair para passear
Me encantar
E no final, apenas te sentir!

Com vontade 
De te sentir
Presente em minha vida
Presente em nossa casa
Presente no próximo encontro
Presente nessa imensa saudade.

Hoje acordei! 
Com a vontade inconfessável do desejo de desejar o inconfesso desejo...
Com vontade de desejar o inconfesso desejo de te amar.

Cláudio Cordeiro 🐉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s